Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 11 de dezembro de 2018

vendas na Páscoa

Supermercados esperam alta de 5% no País

21 MAR 2011Por ESTADÃO11h:39

As vendas de Páscoa nos supermercados de São Paulo devem ter um aumento de 5%, segundo estimativa da Apas (Associação Paulista de Supermercados), que ainda prevê que os preços dos ovos de chocolate não devem sofrer reajuste em relação aos do ano passado.

A Apas ressalta que para manter o preço do chocolate à indústria não vai repassar na íntegra o aumento da manteiga de cacau e do papel, "pois vai continuar com o mecanismo de diminuição da gramatura da embalagem para redução de valores".

Já nas vendas dos bolos de Páscoa, a previsão é que ocorra um aumento de 10%, enquanto o bacalhau, um dos produtos mais procurados para a Sexta-Feira Santa, deve ter um volume de vendas 4% maior, já que os preços devem manter no mesmo patamar que nas festas de fim de ano.

De acordo com o IPS (índice de preços dos supermercados), desenvolvido pela Apas em parceria com a Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), em fevereiro, o preço do chocolate teve queda de 2,55%.

A expectativa é de que, em 2011, sejam vendidas de duas a cinco mil toneladas a mais de chocolate do que no ano passado, quando foram comercializadas 25.500 toneladas de ovos só no Estado de São Paulo. A tendência apresentada nos últimos anos que os ovos menores (entre 90g e 150g) serão os primeiros a serem consumidos, somando o maior volume de vendas no encerramento do período, deve se repetir.

ATENÇÃO

O consumidor deve ficar atento à diminuição do peso do produto -- prática considerada ilegal, exceto quando anunciada ostensivamente na embalagem -- que é entendida como "maquiagem" pelos órgãos de defesa do consumidor. Em 2010, um levantamento da ProTeste no Estado de São Paulo mostrou que, ao comprar ovos de Páscoa, o consumidor precisa ficar atento com a numeração de uma mesma marca podia ter pesos diferentes.

Segundo a pesquisa feita na ocasião, os brindes eram responsáveis pela distorção, pois os produtos com menos chocolate às vezes tinham um preço elevado em relação a ovos do mesmo número porque têm o atrativo do brinde.

Em maio do ano passado, a SDE (Secretaria de Direito Econômico), do Ministério da Justiça, multou a Garoto e a Kraft Foods (controladora da Lacta) por reduzir o peso de ovos de Páscoa sem informar o consumidor. Cada empresa foi obrigada a pagar R$ 591.163.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também