Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MINAS GERAIS

Superbactéria mata duas pessoas em hospital de Montes Claros

Superbactéria mata duas pessoas em hospital de Montes Claros
24/01/2014 18:45 - FOLHA PRESS


 Duas pessoas morreram contaminadas pela superbactéria KPC (Klebsiella pneumoniae carbapenemase) em um hospital de Montes Claros (MG).

As mortes de um idoso e de uma mulher ocorreram durante a primeira quinzena de janeiro, mas foram confirmadas e divulgadas ontem pelo Hospital Aroldo Tourinho.

Outras nove pessoas foram infectadas e seguem em tratamento, sendo que em sete delas a bactéria não se desenvolveu. Os pacientes estão em área de isolamento no hospital por tempo indeterminado.

Durante a manhã de hoje, o Comitê de Controle de Infecção Hospitalar se reuniu junto a membros da Vigilância Sanitária do Estado e do Município para estabelecer ações a serem tomadas.

A primeira medida definida é o desenvolvimento de campanha educativa, para tranquilizar a comunidade. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a KPC só sobrevive em ambiente hospitalar e se desenvolve apenas em pessoas com baixa imunidade.
Por isso, diz a prefeitura, não há motivo para a população se alarmar.

Prevenção

O contágio da KPC não se dá pelo ar, mas por contato direto, tornando fundamental o uso de equipamentos de proteção individual, como luvas, gorros e máscaras entre profissionais da saúde. A higienização adequada das mãos é recomendada ainda tanto para os profissionais quanto para a população.

O Hospital Aroldo Tourinho informou que a detecção da KPC confirma que o sistema de controle imunológico da instituição é eficiente.

Estudo da Unesp (Universidade Estadual Paulista) de Botucatu, interior de SP, mostrou que a incidência de algumas infecções hospitalares, como as causadas pela KPC, aumenta até 57% no verão.
 

Felpuda


Outrora afinadíssimo com o presidente Jair Bolsonaro, parlamentar sul-mato-grossense começou a ser escanteado em consequência de uma das crises políticas de grande repercussão. A figura entrou em campo e botou falação sobre o que estava ocorrendo, e isso soou que só como crítica pesada ao governo, que, como não poderia deixar de ser, não gostou nadica de nada. Há quem diga que o dito-cujo é muito levado “pelo sangue”. Então, tá!...