domingo, 15 de julho de 2018

Sujeira agora é a grande ameaça às famílias atingidas pelas enchentes

2 JUL 2010Por 21h:00
     

        Da Redação

         

  A sujeira provocada pela enchente que destruiu grande parte do município alagoano de Murici há duas semana fez com que o número de atendimentos no único hospital da cidade mais que dobrasse nos últimos dez dias. Esse aumento está diretamente ligado à suspeita de casos de leptospirose, doenças respiratórias e de pele.

  Segundo o diretor geral do Hospital Dagoberto Uchôa de Almeida, Francisco de Assis Barbosa, entre o dia 18, quando ocorreu a primeira enxurrada, e a última quarta-feira (30) foram atendidas 1.593 pessoas. Mais da metade da média mensal de atendimentos, que é de 2.6 mil.

          "A tendência é que esse número cresça ainda mais com o passar dos dias com a falta de água potável e de higiene nos abrigos improvisados para atender a população", alertou Barbosa. De acordo com ele, o número de exames laboratoriais também saltou depois da catástrofe. Em 10 dias foram feitos 2.245 exames, enquanto a média mensal não passa de 2.5.

Leia Também