Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Sudeste Asiático pode ter superterremoto

22 JAN 10 - 08h:00
menos 8,5 graus na escala Richter e com potencial para formar um tsunami tão letal quanto o que matou 226 mil pessoas em 2004 está se formando junto à ilha indonésia de Sumatra, segundo vários cientistas. Com a comunidade internacional envolvida na tragédia humana do Haiti, sismólogos e geólogos dos Estados Unidos, Indonésia e Reino Unido concordaram em ressaltar nos últimos dias que um terremoto de grandes proporções castigará novamente o Sudeste Asiático. “Há uma grande probabilidade de que haja um grande terremoto com uma magnitude de mais de 8,5 nas (ilhas) Mentawai, junto a Sumatra. E é muito possível que esse terremoto provoque um tsunami”, disse um sismólogo indonésio. O professor Joh n Mc- Closkey, do Instituto de Pesquisa de Ciências Ambientais da Universidade do Ulster, alertou esta semana na revista especializada Nature Geoscience sobre o mesmo perigo. Um tremor de grande magnitude e epicentro próximo ao litoral pode gerar uma onda gigante, arrasando as localidades do litoral de Sumatra e deixando dezenas de milhares de vítimas. Precisamente, McCloskey disse que uma das áreas mais propensas a ser devastada é Padang, capital da província de Sumatra Ocidental, com uma população de 1 milhão de habitantes e que foi parcialmente destruída no terremoto de 7,6 graus que matou pelo menos 1,1 mil pessoas em setembro do ano passado. “A potencial perda de vidas seria semelhante à do tsunami do Oceano Índico de 2004”, calculou McCloskey, em referência à catástrofe que matou cerca de 226,4 mil pessoas e deixou vários milhões de desabrigados em 13 países. O epicentro do futuro cataclismo, segundo os especialistas, ficará sob a pequena ilha de Siberut, nas Mentawai, um afastado arquipélago ao oeste de Sumatra com um extenso histórico sísmico. O fundo marinho do local é atravessado por uma falha geográfica onde colidem as placas tectônicas indoaustraliana e euroasiática, uma das fraturas mais ativas da crosta terrestre. Segundo as pesquisas de McCloskey, a região sofre, em média, um grande terremoto a cada dois séculos e a falha está acumulando tensão desde 1797, o último grande terremoto, por isso o especialista conclui que está “a ponto de romper”.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Prefeito de Corumbá aposta em boa gestão como cabo eleitoral
ELEIÇÕES 2020

Prefeito de Corumbá aposta em boa gestão como cabo eleitoral

Interrupção de energia para obras no centro preocupa comerciantes
OBRAS POLÊMICAS

Obras no centro deixará comércio sem luz no sábado

Prefeito veta projeto de lei para manutenção de Cidade do Natal
CAMPO GRANDE

Prefeito veta projeto de lei para manutenção de Cidade do Natal

Ana Marcela conquista segundo ouro no Mundial de Esportes Aquáticos
ESPORTE

Ana Marcela conquista segundo ouro no Mundial de Esportes Aquáticos

Mais Lidas