Domingo, 18 de Fevereiro de 2018

Usinas

Sucroenergético é o que mais cresce

14 NOV 2010Por ADRIANA MOLINA04h:40

Superando qualquer outro segmento do setor industrial de Mato Grosso do Sul, o sucroenergético é disparadamente o que mais cresceu nos últimos cinco anos no Estado. Com investimentos que ultrapassam os R$ 4 bilhões, o volume de indústrias de açúcar e álcool recebeu incremento de 91%, saltando de 11 empresas em 2006, para 21 em 2010 – montante muito acima da média geral de crescimento da indústria em MS no período, que foi de 35,8%.

O segmento é ainda o que mais emprega no Estado, com 26 mil dos 113,7 mil – 22,8% dos postos formais de trabalho ocupados em MS no setor. Segundo a Associação dos Produtores de Bioenergia de MS (Biosul), apenas nos últimos cinco anos, houve acréscimo de 73,3% na geração de empregos por conta da abertura de novas indústrias – índice também acima da média geral do Estado, de 66,5%.

A produção é cada vez mais intensa. Saímos de nove milhões de toneladas de cana-de-açúcar moídas na safra 2005/2006 para cerca de 23 milhões de toneladas na 2009/2010. E, para a safra 2010/2011, são esperadas mais de 38 milhões de toneladas nas usinas para a produção de açúcar e álcool.

O presidente da Biosul, Roberto Hollanda, atribui tamanho desenvolvimento em tão pouco tempo a três fatores; o primeiro é o ambiente institucional. “Os incentivos fiscais do governo, que isentam ou reduzem alíquotas tributárias e a doação de terrenos para as indústrias se estabelecerem por parte das prefeituras, são grandes atrativos para grandes investidores optarem por Mato Grosso do Sul, tanto, que as usinas mais modernas do País se instalaram aqui”, pondera.

Outro importante fator é a condição climática. O solo, clima e relevo, que dispensam cuidados especiais, como, por exemplo, a irrigação; associados à grande disponibilidade de terras, produzem ambiente propício à atividade sucroalcooleira no Estado. Atualmente, apenas 430 mil hectares dos cerca de seis a oito milhões de hectares aptos ao cultivo da cana-de-açúcar estão com a cultura em MS.

E, em terceiro lugar, temos o cenário econômico favorável. O bom momento do etanol, com os recordes em vendas de carros flex e a expectativa de que o produto vire uma energia difundida pelo mundo, além da consolidação do plástico verde, fazem da indústria sucroenergética uma boa opção para investidores.

Leia Também