Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

STJ julga validade das provas da Operação Owari

28 MAI 10 - 06h:21
Fernanda Brigatti

A validade das provas produzidas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) contra o prefeito de Dourados, Ari Artuzi, durante a operação Owari, está nas mãos do Superior Tribunal de Justiça (STJ). O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul admitiu recurso do Ministério Público Estadual (MPE) e agora a Corte superior decidirá se a investigação foi legítima.
Um habeas corpus de Artuzi trancou, no TJ, a apuração, sob alegação de que os promotores não poderiam ter conduzido a investigação.
O MPE defende que a documentação recolhida na investigação foi encaminhada, pela PF, ao TJ, atendendo o foro privilegiado de Artuzi. No tribunal, foi instaurado um inquérito policial, encaminhado à Procuradoria-Geral de Justiça, a quem caberia a investigação. Essa designou o Gaeco para continuar o trabalho. Conforme o MPE, a investigação buscava “confirmar o envolvimento do prefeito” em um esquema criminoso de desvio de verbas públicas.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Aliados de 'Minotauro' estão entre presos do PCC fugitivos de prisão no Paraguai
FUGA EM MASSA

Aliados de 'Minotauro' estão entre presos do PCC fugitivos de prisão no Paraguai

Projeto auxilia na criação de hortas familiares em Campo Grande
HORTA URBANA

Projeto auxilia na criação de hortas familiares em Campo Grande

Rodoviárias têm fiscalização reforçada após fuga de detentos do Paraguai
FUGA EM MASSA

Rodoviárias têm fiscalização reforçada após fuga de detentos do Paraguai

Aos 73, filha solteira de ex-deputado ganha pensão há 46 anos: 'Nunca dependi'
ABSURDO

Aos 73, filha solteira de ex-deputado ganha pensão há 46 anos: 'Nunca dependi'

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião