Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 18 de novembro de 2018

STF autoriza ex-mulher de Cachoeira a ficar calada em CPI

7 AGO 2012Por 06h:00

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber concedeu nesta segunda-feira habeas-corpus que permite à Andrea Aprígio de Souza, ex-mulher de Carlinhos Cachoeira, permanecer calada durante depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Cachoeira. Andrea deve comparecer à CPI na próxima quarta-feira.

O pedido de habeas-corpus foi protocolado pelos advogados da ex-mulher do bicheiro. Eles alegaram que, embora Andrea tenha sido convocada como testemunha, a Justiça Federal de Goiás determinou o bloqueio de suas contas bancárias, o sequestro de seus imóveis e a apreensão de seu veículo. Segundo a defesa, isso poderia sinalizar a "alteração de sua condição de testemunha para investigada".

Em sua decisão, a ministra observou que os requerimentos parlamentares que deram origem à convocação de Andrea afirmavam seu envolvimento nas atividades ilícitas investigadas, como pessoa interposta do grupo liderado por Cachoeira. Dessa forma, a magistrada aceitou a alegação da defesa de que a ex-companheira do bicheiro não pode ser considerada mera testemunha, diante da possibilidade de, ao término das investigações, vir a ser acusada criminalmente.

"A paciente pode, como potencial investigada, ser ouvida, mas com o resguardo dos direitos constitucionais e legais decorrentes dessa condição", afirmou a ministra. A liminar assegura a Andrea Aprígio o direito ao silêncio e à assistência do advogado e a garantia de não ser submetida ao compromisso de dizer a verdade, além de não sofrer constrangimentos físicos ou morais por isso.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também