Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 15 de novembro de 2018

SongPop caminha para ser rede social de música

11 AGO 2012Por istoé21h:00

Os 12 funcionários de uma pequena empresa de Nova York foram surpreendidos por uma explosão brasileira, na última sexta-feira de maio. Naquele dia, o novo aplicativo produzido pela FreshPlanet era um dos assuntos mais comentados nas redes sociais entre os usuários do País. Houve um pico de instalações do aplicativo que surpreendeu Mathieu Nouzareth, CEO da companhia. Ele não havia investido nenhum centavo com marketing. Na segunda-feira (28/05), o fenômeno ganhou ainda mais fôlego e uma onda massiva no Brasil chamou a atenção de todo o planeta.

Afinal, que mania é essa dos brasileiros? É o SongPop, game atualmente jogado por quatro milhões de pessoas todos os dias e que se prepara para virar uma rede social de música - nicho aberto desde a derrocada do MySpace. A mecânica do jogo lembra o antigo programa televisivo “Qual é a música?”. Os jogadores devem desafiar os amigos em disputas de quem adivinha primeiro a música que está tocando.  Um trecho de no máximo dez segundos é tocado e, em média, as adivinhações são feitas em 2,5 segundos. Quanto mais rápido, mais pontos. Quanto mais pontos, mais moedas virtuais, que dão direito a novas coleções de música e pequenos benefícios no jogo, como a eliminação de algumas alternativas erradas. Quem não tiver paciência para encher o cofrinho do jogo pode acelerar o processo comprando moedas com investimentos a partir de US$ 2.

Com uma mecânica parecida com a do Draw Something, o jogador escuta as músicas e manda o desafio para um amigo. O SongPop pode ser aberto tanto em tablets e smartphones (há versões para iOS, da Apple, e Android, do Google) quanto no Facebook. É raro um jogo obter sucesso nos dispositivos móveis e em redes sociais ao mesmo tempo. A Rovio, por exemplo, tem êxito incontestável com seu Angry Birds no segmento móvel, enquanto a Zynga (de Farmville e Zynga Poker) só vai bem nas redes sociais. A FreshPlanet conseguiu o feito inédito de estar bem nas duas frentes. Segundo Nouzareth, cerca de 65% das partidas são disputadas em plataformas móveis e o restante na versão para Facebook.

A fórmula agradou aos brasileiros, mas hoje o País é o terceiro em quantidade de usuários. Depois da descoberta brasileira, americanos e ingleses não só aderiram ao jogo como ocuparam, respectivamente, a primeira e a segunda posição no ranking. Hoje, o SongPop é presença constante entre os mais populares do Facebook, Android e iOS. Porém, Nouzareth sentiu que precisava entender o mercado brasileiro. Ele visitou o Brasil pela primeira vez nesta semana. “O mercado brasileiro é interessantíssimo, apesar de ser desconhecido na Europa e nos Estados Unidos”, disse Nouzareth, com a autoridade de quem já fez três start-ups de sucesso em Paris (WebConcept, Boonty.com e cafe.com) e está desde 2009 em Nova York, à frente da FreshPlanet.

Empreendedor desde 1995, quando tinha 23 anos, o francês sempre trabalhou com seu irmão três anos mais jovem, Romain Nouzareth. Os conflitos familiares não atrapalham a empresa. “Dá certo porque temos perfis complementares. Ele (Romain) é mais extrovertido e está sempre com o olhar para fora da empresa. Eu estou sempre nos bastidores, salvo por hoje”, conta. Segundo ele, o novo empreendimento foi feito na maior cidade americana também para “sair da zona de conforto”.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também