Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Sol libera sua mais forte erupção de 2014

Sol libera sua mais forte erupção de 2014
05/03/2014 05:00 - Jornal Ciência


O pico de atividade solar parece estar começando a desaparecer.

Mas, nossa estrela não ‘planeja’ sair do seu Máximo Solar de modo tão calmo. O Sol apareceu com uma enorme mancha que lançou labaredas de classe X 4.9 – o maior de 2014.

Devido à localização específica da mancha, exatamente no sudeste do Sol, não espera-se que a ejeção de massa coronal tenha algum impacto em satélites ou sistemas de comunicação de rádio aqui na Terra.

“Emissões de ondas de rádio da ejeção de massa coronal sugerem uma velocidade de expansão de quase 2 milhões de metros por segundo. Se tal ‘nuvem’ em movimento atingisse a Terra, as tempestades geomagnéticas resultantes poderiam ser graves. No entanto, devido a sua trajetória ser longínqua, elas vão passar apenas de raspão”, declarou oficialmente o site Space Weather.

Em 28 de janeiro de 2013, uma emissão de classe M – o segundo alargamento mais forte depois dos de classe X – saiu do Sol com uma grande quantidade de raios-X, adentrando o espaço profundo.

Hoje os cientistas conseguem observar uma camada de baixa atmosfera solar, logo acima da superfície, chamada de cromosfera, com resolução inacreditável. No entanto, as sondas enviadas para observar o Sol, não podem observar toda a estrela, então os pesquisadores tentam prever quando ocorrerá as atividades solares.

As labaredas solares são, na verdade, poderosas rajadas de radiação. Sua energia viaja na velocidade da luz para chegar à Terra em apenas 8 minutos. Aqui na Terra, nossa camada na atmosfera chamada ionosfera consegue absorver a radiação emitida. No entanto, quando a erupção é extremamente forte, consegue interferir e prejudicar sistemas que dependem de satélites como GPS, TV por assinatura, telefonia, internet, etc.

Felpuda


Engana-se quem acha que diminuiu a voracidade de ter fatia de cobiçado bolo por parte de “quem manda”. O recuo realmente houve, mas só por enquanto e por uma questão de estratégia, até porque, nas primeiras investidas, as portas não se abriram. E continuam fechadas. Mas quem conhece bem a dita figurinha aposta que ela não desistirá até encontrar, digamos,  um “chaveiro amigo”. Essa gente não sossega nem diante da pandemia... Afe!