Sábado, 17 de Fevereiro de 2018

DÉFICIT

Sobram até 5 mil vagas de emprego no comércio da Capital

22 NOV 2010Por Edivaldo Bitencourt00h:00

Apesar do crescimento de 102% no número de vagas criadas neste ano, o comércio da Capital tem déficit de 4 mil a 5 mil trabalhadores, segundo o vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande, João Carlos Polidoro. A falta de qualificação impede o aumento de 12,5% no quadro de 40 mil empregos formais no município.

A demanda por mão de obra qualificada é decorrência do aquecimento na economia, principalmente, pelos novos consumidores, principalmente, das classes C e D. De acordo com Polidoro, o problema até não é falta de pessoal, mas de trabalhadores qualificados para atuar em vendas e no setor de atendimento. Ele conta que 70% dos consumidores da Capital são insatisfeitos com o atendimento oferecido pelas lojas, principalmente, pela falta de preparo dos profissionais.

Além disto, conforme o economista Áureo Torres, o setor está aquecido em decorrência da abertura de novas lojas. Somente a ampliação do Shopping Norte Sul Plaza e a inauguração do centro comercila 26 de Agosto, em 2011, deverão propiciar a abertura de mais 4 mil vagas no comércio campo-grandense.

Os lojistas vão enfrentar uma situação ainda mais dramática para preencher os quadros. "Não é pouca gente (que está faltando)", destaca o dirigente da Associação Comercial.

Demanda
Polidoro estima que o setor precisa contratar de 4 mil a 5 mil trabalhadores em Campo Grande. No entanto, a intenção dos lojistas esbarra na falta de profissionais qualificados. A Ponto Certo, empresa com atuação em vários estados, busca, há cinco meses, preencher 35 vagas para vendedores, segundo o vice-presidente. Ele conta que até parecem candidatos, mas a maioria não preenche os requisitos da empresa.

Mesmo com a falta de trabalhadores, a abertura de novas vagas pelo comércio em Campo Grande é a maior dos últimos seis anos. Conforme o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, foram criadas 1.897 novos empregos de janeiro a outubro deste ano, contra 936 no mesmo período do ano pasado. O número só não é superior ao registrado em 2004, quando foram criadas 2.516 novas vagas no período.

Natal
A Associação Comercial de Campo Grande prevê aumento de 11% nas vendas neste fim de ano, o que deverá representar o melhor Natal da década para o setor.

Um dos indicadores é a busca dos consumidores para aderir à Campanha Nome Limpo. Por dia, 1,5 mil procuram o Serviço de Proteção do Crédito (SPC) para tirar o nome do cadastro do órgão e recuperar o crédito.

Leia Também