Sábado, 16 de Dezembro de 2017

meio ambiente

Só 11 das 79 cidades do Estado cumprem Lei do Aterro

2 FEV 2014Por Lucia Morel00h:00

O investimento médio de R$ 1,5 milhão incapacita a maioria dos municípios de Mato Grosso do Sul a cumprir o prazo, que vence em agosto de 2014, para a efetiva operação dos aterros sanitários. A informação é do jornal Correio do Estado deste domingo (02).

Segundo Lorivaldo de Paula, coordenador do Plano Estadual de Resíduos Sólidos, apenas 11 dos 79 municípios do Estado estão em operação ou em vias de. Em Alcinópolis, por exemplo, a 387 Km ao norte de Campo Grande, o primeiro aterro sanitário foi construído em 2006 e já está em desuso. O coordenador de gestão de resíduos sólidos da cidade, Edilson Cotonett, afirma que uma nova célula de aterro está sendo construída para durar os próximos quatro anos. Para ele, o município está mais avançado que outros, mas ainda assim, “engatinhando”. Isso porque o aterro que era usado até então já está lotado e “se esgotou”, sendo necessária a instalação de outro espaço.

Enquanto isso, o lixo da cidade está sendo depositado em uma área monitorada, mas que não possui as adequações necessárias de um aterro, como a manta impermeável que impede a contaminação do solo.

Além disso, a coleta seletiva não está instalada no município e a separação do lixo inservível do que pode ser reciclado é feito de maneira precária. “Temos a cooperativa, mas se usa um sistema da Funasa [Fundação Nacional de Saúde] da década de 90. Precisamos de uma nova unidade de triagem, porque a cooperativa faz a triagem, mas bem simples”, comentou Cotonett. A matéria é assinada por Lúcia Morel. 

Leia Também