Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

Sites de compras coletivas já movimentaram R$ 136,85 milhões

Sites de compras coletivas já movimentaram R$ 136,85 milhões
12/04/2011 02:00 - terra


Comune, empresa agregadora de ofertas, realizou uma pesquisa na qual revelou que o mercado de compras coletivas movimentou R$ 136,85 milhões no primeiro bimestre de 2011. De acordo com o levantamento, 2,83 milhões de cupons de descontos foram comercializados em janeiro e fevereiro deste ano. A pesquisa ainda mostrou que os mais de duzentos sites pesquisados tiveram em Fevereiro um crescimento de 8.23% em relação a janeiro, totalizando R$ 71,13 milhões.A Comune também revelou que os horarios de maior número de vendas de tickets são entre 12h e 13h e após as 18h. Isso porque, segundo David Reck, sócio no negócio, são os horarios de maior interação entre os colegas de trabalho. ""as pessoas enquanto trabalham estão planejando os seus momentos de lazer e também resolvendo assuntos pessoais", afirma.

Saúde e beleza impulsionam o mercado

O segmento de saúde e beleza foi o maior responsável pelo crescimento, com arrecadação de cerca de R$ 22,66 milhões em janeiro e R$ 22 milhões no mês sucessor. Foram mais de 319,79 mil cupons vendidos apenas no mês de fevereiro - em janeiro o número de cupons vendidos somou 283,94 mil.A previsão de vendas para o ano de 2011 é que fiquem acima de R$1 bilhão. Há expectativa de que sejam vendidos cerca de 40 milhões de cupons até o final deste ano. "O mercado de compras coletivas, ao contrário do que se esperava, não é uma febre passageira. A tendência é que o número de ofertas, de sites do gênero e de estabelecimentos aderindo à modalidade de e-commerce aumente expressivamente", conclui Reck.

Felpuda


Tudo indica que o MDB não conseguiu convencer o PSDB de iniciar namoro com vistas a casamento nas eleições, e a ideia teria sido descartada. Os tucanos demonstraram que o problema deles não é o cargo: os emedebistas ofereceram a vaga de vice na disputa à Prefeitura de Campo Grande, a mesma cobiçada pelos tucanos, mas na chapa do PSB do atual prefeito. A questão, politicamente falando, seria, digamos, o oferecido “noivo”. Afe!