quinta, 19 de julho de 2018

Sistemas de segurança boliviano preocupa Ministério das Relações Exteriores

15 JAN 2009Por 22h:32
     

SÍLVIO ANDRADE

 

O desorganizado sistema de segurança do Governo boliviano preocupou o Ministério das Relações Exteriores do Brasil, durante a visita do presidente Lula à Arroyo Concepcion, ontem de manhã. Mas o pior não aconteceu: o protesto dos habitantes da província, que fazem oposição a Evo Morales acusando-o de não investir na região.

 

Para garantir uma cerimônia tranqüila na inauguração do trecho da Carretera entre Concepcion e Roboré, de 242 km, o Governo de Evo impediu que os manifestantes se aproximassem do palanque armado na rotatória na saída para Puerto Suarez, a 2km da fronteira com Corumbá. Apenas os simpatizantes de Evo tiveram acesso.

 

Militares espalhados pelas ruas de terra e sujeira de Concepcion e Puerto Quijarro estavam revistando as pessoas, tomando as faixas e cartazes que criticavam Evo Morales por atrasar o início da exploração das reservas minerais de Mutum, que gerariam, a médio prazo, mais de seis mil empregos na região.

Leia Também