Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

Protesto

Sindicato pede calma aos revendedores para evitar confusões

9 MAI 2011Por Laís Camargo15h:33

Marcado para hoje às 19h30min no estacionamento do Yotedy, o protesto “Na Mesma Moeda” motivou uma coletiva de imprensa convocada pelo Sindicato dos Petroleiros (Sinpetro) para justificar os aumentos de preço e pedir calma aos revendedores – que terão que emitir nota fiscal e abastecer R$0,50 nos participantes do manifesto.

O presidente do Sinpetro, Mário Shiraishi, defendeu que o movimento é uma forma de repassar a indignação aos governantes, de chamar atenção para os preços, que não são definidos pelos donos dos postos. “Existe a composição de preços, os postos são responsáveis por 11% do valor. A gasolina sai da Petrobras a menos de R$ 1, o resto são impostos e taxas. O consumidor reclama no revendedor, que é a ponte mais próxima para reclamar”, afirma Mário.

Em documento, o Sinpetro apontou três itens que produzem impacto nos custos dos revendedores: reajuste da energia elétrica, reajuste nos salários dos funcionários e carga tributária (como ICMS e IPTU). Em 7 meses, a variação de preço da compra do álcool para os postos foi de 33,6%, tendo chegado a custar R$ 1,54 em outubro de 2010 e tendo chegado a R$ 2,06 em abril de 2011.

Leia Também