Sábado, 17 de Fevereiro de 2018

SALÁRIO MÍNIMO

Sindicalistas de MS vão participar de reunião com Mantega

11 FEV 2011Por DA REDAÇÃO17h:04

Sindicalistas de Mato Grosso do Sul, ligados à Força Sindical, seguem em Caravana a Brasília na próxima semana para participar nos dias 15 e 16, junto com sindicalistas de todo Brasil, de reunião na Câmara Federal com o Ministro da Fazenda, Guido Mantega, para debater as propostas de aumento e a política de valorização do salário mínimo.

“Vamos fazer um verdadeiro arrastão na Câmara Federal para fazer com que os deputados aprovem o salário mínimo de R$ 580 e criem uma política de valorização do salário mínimo”, afirmou hoje pela manhã o presidente da Força Sindical Regional Mato Grosso do Sul, Idelmar da Mota Lima, que recebeu, em Campo Grande, dois membros da executiva nacional: Geraldino dos Santos, secretário de Relações Sindicais da Força e Miguel Torres, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo. Eles discutiram esses e outros assuntos relacionados ao movimento sindical de MS.

Geraldino dos Santos explicou que atendendo proposta das centrais sindicais, o presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), convocou para terça-feira (15) uma Comissão Geral da qual participarão o Ministro Guido Mantega, e os representantes das centrais sindicais, para debater as propostas de aumento e valorização do salário mínimo.

A sessão plenária da Câmara pode ser transformada em Comissão Geral para debater assuntos relevantes, projeto de iniciativa popular ou para ouvir ministro de Estado. A diferença entre os debates ocorridos durante a votação de matérias e a Comissão Geral, segundo a direção da Força, é que, nessas ocasiões, além dos deputados, são convidados a falar respresentantes da sociedade relacionados ao tema debatido. Os líderes partidários acertaram a votação do aumento do Salário Mínimo para quarta-feira (16).

A Força Sindical e as demais centrais estão convocando seus dirigentes e ativistas de todo o país para participar dessas reuniões em Brasília, nos dias 15 e 16 para acompanhar os debates e pressionar os deputados pela aprovação do Salário Mínimo de R$ 580 e pela manutenção da política de valorização (aumento calculado pela inflação mais a variação do PIB de dois anos antes) até 2023.

Leia Também