sexta, 20 de julho de 2018

VELOCIDADE

Sinalização no trecho reordenado deverá receber dois radares

5 DEZ 2010Por 05h:25

Trecho da Rua Ceará reaberto ontem para o tráfego, por onde circulam 30 mil veículos por dia em horário de pico, passará a ser fiscalizado por dois radares, limitando a velocidade a 50 quilômetros por hora próximo ao viaduto sobre a Avenida Ricardo Brandão. Conforme informações do diretor-presidente da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), as placas indicando a existência de fiscalização eletrônica no local serão instaladas na próxima terça-feira (7) e a previsão é de que os equipamentos entrem em funcionamento dez dias após essa data. Ao todo, o trecho passará a ser fiscalizado por três radares, uma vez que já existe um equipamento instalado próximo ao viaduto da Avenida Afonso Pena. "O nosso objetivo é a prevenção de acidentes, principalmente no cruzamento da Ceará com a Rua 15 de Novembro, onde já houve registro de mortes", disse.

A Agetran também estuda implantar num prazo de dois meses, após monitoramento do trânsito no local, a expansão de canteiro na Ceará, próximo às alças de acesso com a Ricardo Brandão, do lado do condomínio Cachoeirinha e da área onde será construída a Praça das Águas. Segundo Rudel Trindade, há a preocupação de que motoristas desavisados que sobem pela alça de acesso da Ricardo Brandão e queiram retomar o itinerário nessa avenida decidam "cortar caminho" e cruzar a Ceará para chegar à alça de acesso do outro lado, manobra que seria impedida com a existência desta barreira física.

 Travessia
Com as obras viárias da Ceará, houve construção de canteiro e instalação de iluminação nas proximidades do estacionamento e da segunda entrada do campus da Anhanguera/Uniderp, o que de acordo com Rudel Trindade Júnior conferirá maior segurança na travessia dos estudantes que frequentam a instituição. "Vai ajudar bastante. Antes, havia ali dois movimentos, o de quem descia a Ceará e entrava à esquerda para chegar ao estacionamento, e o de motoristas entrando e saindo no contorno. No meio disso, ficavam as pessoas no meio da pista, tentando atravessar, sem conseguir. Com a construção do canteiro, eliminam-se as manobras proibidas e o pedestre tem um abrigo para poder fazer a travessia", explicou.

 Padronização
A partir de janeiro, a Agência Municipal de Transporte de Trânsito (Agetran) vai padronizar a velocidade máxima permitida pelos equipamentos eletrônicos que fiscalizam o trânsito de Campo Grande. Segundo o diretor-presidente da agência, Rudel Trindade Júnior, o objetivo é fixar dois padrões de velocidade – 30 quilômetros por hora para as áreas em frente de escolas, centros de educação infantil e outros dessa linha, e 50 quilômetros por hora para os locais de maior fluxo de veículos, como por exemplo a Rua Ceará. (DA)

Leia Também