RIO DE JANEIRO

Simulação de sequestro no metrô mobiliza o Bope

Simulação de sequestro no metrô mobiliza o Bope
11/08/2012 16:15 -


Uma simulação de ação terrorista com reféns no metrô do Rio mobilizou 200 policiais de elite na manhã de hoje (11). Participaram da operação policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope), do Batalhão de Ações com Cães (BAC), do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) e do Grupamento Aeromóvel (GAM), além da guarda municipal e funcionários do metrô.

A situação envolvia três terroristas latino-americanos que levavam explosivos para o Estádio do Maracanã. Funcionários do metrô perceberam algo estranho e acionaram o Bope às 10h. O trecho entre as estações Cidade Nova e São Cristóvão foi paralisado e o local foi cercado, com atiradores de elite posicionados em um viaduto.

A negociação tensa seguiu até às 11h20, quando policiais desceram o viaduto de rapel e fizeram a invasão tática do vagão, com o auxílio de cães de faro. Ao fim da operação, os terroristas foram rendidos, mas houve um refém morto e quatro feridos.

O treinamento faz parte dos preparativos de segurança para a atuação das equipes de policiais e funcionários da concessionária em situações de emergência nos grandes eventos que ocorrerão na cidade, como a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. Também participaram 80 funcionários da segurança do MetrôRio.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".