segunda, 23 de julho de 2018

CAMPO GRANDE

Simone não concorrerá à prefeitura

22 NOV 2010Por Adilson Trindade00h:00

A vice-governadora eleita Simone Tebet (PMDB) nem quer pensar na hipótese de concorrer à Prefeitura de Campo Grande, em 2012. O nome dela foi colocado em discussão depois de se avaliar a carência de lideranças do partido para a sucessão do prefeito Nelsinho Trad (PMDB). Simone admite a sondagem. Mas o seu sonho é outro: disputar em 2014 uma vaga no Senado para ocupar a cadeira do pai, senador Ramez Tebet (PMDB), falecido em 2006.

Simone, que foi prefeita por duas vezes de Três Lagoas, sente-se honrada em ter o seu nome cogitado para disputar a prefeitura da Capital. Mas acha que existem outros nomes do PMDB para concorrer às eleições em 2012.

O governador André Puccinelli (PMDB) tem a mesma opinião e sinaliza com a possibilidade, na falta de um candidato competitivo, de o PMDB apoiar nome de partidos da base aliada.

Ele citou como exemplo o secretário estadual de Obras e deputado federal eleito Edson Giroto, que é do PR. Na prática, ele sempre foi um peemedebista muito ligado ao governador. E só está no Partido da República para ampliar o poder político do grupo de André e impedir o partido de se juntar ao PT na última disputa pela sucessão estadual. Os republicanos foram aliados nacionais do PT na campanha de Dilma Rousseff à Presidência da República.

Outro nome apontado pelo governador foi do ex-secretário municipal de Saúde e deputado federal Luiz Henrique Mandetta, do DEM. Ele também era do PMDB e migrou-se para o partido dos democratas, também, para ampliar o poder político do prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB), e do próprio governador.

A ideia é ter o controle dos partidos da base aliada para chegarem fortes e unidos nas próximas eleições municipais e na sucessão estadual.

Com estas opções, Simone prefere ficar na vice-governador até 2014 quando pretende disputar a vaga no Senado. E será apenas uma em jogo, que hoje está sendo ocupada pela senadora Marisa Serrano, vice-presidente nacional do PSDB.

No caso de Simone concorrer ao Senado, pode atrapalhar o plano de Marisa de concorrer à reeleição, porque não terá mais o apoio do governador André Puccinelli.

Leia Também