Siemens está proibida de fechar contratos com poder público até 2018

Siemens está proibida de fechar contratos com poder público até 2018
28/02/2014 23:00 - Folhapress


A multinacional Siemens está proibida de fechar contratos com órgãos da administração pública até julho de 2018 em virtude de punição aplicada pela ECT (Empresa brasileira de Correios e Telégrafos) em processo administrativo.

A penalidade de impedimento de contratar com o poder público por cinco anos foi determinada pelos Correios em 2009 sob a acusação de que a empresa alemã havia cometido fraudes em licitações da estatal em 2001 e 2004.

A Siemens buscou a Justiça para derrubar a medida e obteve sucesso em 2010 e 2013, mas em janeiro último o TRF (Tribunal Regional Federal) da 1ª Região julgou válida a penalidade aplicada pelos Correios.

Com o desconto dos períodos em que a punição esteve suspensa, a proibição vai até 26 de julho de 2018, de acordo com publicação da estatal no Diário Oficial da União.

Em nota, a multinacional afirma que "está recorrendo da decisão" do TRF.

"Uma proposta da Siemens de voluntariamente restringir seus negócios com a empresa por um período equivalente de tempo, que encerraria a disputa judicial, não foi aceita pela ECT", segundo a multinacional alemã. 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".