Quinta, 22 de Fevereiro de 2018

Comércio

Shoppings da Capital abrirão 1.175 novas lojas em 2 anos

13 OUT 2010Por Carlos Henrique Braga09h:00

Campo Grande vai abrir 1.175 novas lojas em shoppings nos próximos dois anos, quantidade 575% superior às 204 que existem hoje nos maiores empreendimentos. A expansão é a maior da história da cidade que, por duas décadas, teve apenas um centro comercial para atender ao consumidor voraz por conforto e segurança. Desde 1989, quando o Shopping Campo Grande foi inaugurado, os investimentos não acompanharam o aumento no poder de compra do consumidor, turbinado pelo crescimento econômico.
Amanhã, a incorporadora Saad, de São Paulo, lança o Shopping 26 de Agosto para os público C e D, na rua homônima, no centro da cidade. A inauguração das 550 novas lojas está marcada para 26 de agosto do próximo ano. Em março, o Norte-Sul Plaza deve inaugurar mais 209 lojas e sete salas de cinema. Na esteira virão ainda o Bosque dos Ipês, na saída para Cuiabá, com 140 lojas (35 mil m²) e mais um dos Saad, o Cidade Morena, também no centro, com 250 lojas e início das obras previsto para 2011. Para não ficar para trás, o Shopping Campo Grande planeja expansão de 17% dos 33,5 mil m² de Área Bruta Locável (ABL), resultando em 39,1 mil metros. O número de lojas deve passar de 154 para 180.
No centro, a ideia dos Saad é contribuir para mudar a cara da região. Com estacionamento subterrâneo e no último andar, seus empreendimentos adiantam-se à possível proibição de estacionamento nas ruas do centro. De acordo com sócio da incorporadora, Fernando Saad, o mercado local é mais aquecido do que o europeu, e ainda tem muito a crescer. Ele não divulga os valores dos investimentos.
A principal evidência de que o Shopping Campo Grande ficou pequeno é a difícil tarefa de encontrar lugar para o carro em horários de muito movimento. O empresário Nilton Salgado demorou 30 minutos para achar vaga ontem, Dia das Crianças. Mulher e filha saltaram do carro antes e começaram as compras sem ele. “A gente vem porque é a única opção”, diz Nilton. Se o centro de compras da saída de Cuiabá estivesse pronto, a família, que mora no Bairro Planalto, não hesitaria em mudar o endereço das compras.
A empresária Maria Bodega tentou durante mais de 10 minutos encontrar vaga no estacionamento, na tarde de ontem, e espera a nova onda de shoppings para aumentar as opções. “Estacionar aqui é muito chato”, reclama.

Leia Também