domingo, 15 de julho de 2018

tecnologia

Setor de Perícias recebe novos equipamentos

27 NOV 2010Por Thiago Gomes05h:00

O Núcleo de Perícias Externas do Instituto de Criminalística (IC), de Campo Grande, está recebendo novos equipamentos para a realização de perícia de locais de crimes. A medida, além de representar avanço em matéria de tecnologia, eleva a qualidade das investigações, uma vez que possibilita maior profundidade na análise das cenas de delitos.

De acordo com informações da Secretaria de Justiça e Segurança Pública, foram adquiridos um detector de metal, uma trena com roda, duas trenas laser, três Sistemas de Posicionamento Global (GPS) e quatro detectores de gás. "Este tipo de tecnologia proporciona um avanço enorme para a perícia em locais de crime porque possibilita uma varredura completa de vestígios que não são visíveis a olho nu e dificilmente seriam encontrados em uma análise comum", avalia o perito criminal Emerson Lopes dos Reis.

O profissional também explica a funcionalidade dos novos equipamentos de trabalho. "O detector de metais, por exemplo, é um equipamento de ponta sensível a qualquer vestígio que possa auxiliar na perícia de local de crime", diz.

Ainda segundo o perito, o detector emite um sinal sonoro para apontar mesmo pequenos fragmentos de bala enterrados no solo. "E ainda mostra a profundidade em que o projétil está", conta. Para Emerson, uma das características mais importantes do novo equipamento é a possibilidade de utilizar até em lugares abertos, onde há grandes possibilidades de um projétil transfixar um corpo e se perder.

Outro novo equipamento é o detector de gases. O aparelho, segundo o perito criminal Emerson dos Reis, tem capacidade de reconhecer cerca de 15 tipos de gases que possam estar num ambiente. "O sensor consegue captar o gás e fazer o reconhecimento da substância, emite um alarme sonoro e aponta a tipificação do gás", esclarece. "Todos estes equipamentos representam um importante avanço tecnológico para a perícia de local de crime que vai coletar todos os vestígios para a análise continuar em laboratório", afirma.

O investimento é realizado através de um convênio assinado entre o governo do Estado e a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), do Ministério da Justiça. O total de recursos é de cerca de R$ 80 mil, com contrapartida de 10% do valor repassado pela administração estadual. Em cerca de 30 dias ainda deve chegar ao Estado um novo equipamento: a Fonte de Luz Forense. Conforme o perito Emerson dos Reis, o aparelho emite diversos espectros de luz capazes de reconhecer vestígios biológicos em locais de crime.

Leia Também