Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

FLAGRANTE

Servidor desviava materiais do Hospital Regional

24 JAN 14 - 00h:00RAFAEL BUENO

A polícia investiga um esquema de furto de materiais hospitalares de dentro do Hospital Regional Rosa Pedrossian em Campo Grande. Ontem, um dos funcionários envolvidos abandonou o próprio carro com diversos produtos encaixotados, no estacionamento da instituição. Ele fugiu a pé ao perceber que estava sendo vigiado.

O funcionário identificado como Elias Domingos da Silva, 33 anos, já vinha sendo monitorado, desde setembro do ano passado. No final do expediente desta quinta-feira, ele tentou deixar o hospital com os produtos avaliados em R$ 3 mil, num Astra preto.

Ao perceber que as guaritas estavam em alerta para pará-lo, ele ficou desesperado e começou a circular dentro do estacionamento. O rapaz andou na contramão e atravessou um dos canteiros do estacionamento, quando um dos pneus do carro furou.

Foi quando ele deixou o carro com a chave no contato e fugiu a pé. A polícia foi chamada e encontrou 15 caixas de produtos hospitalares no banco traseiro e porta-malas do veículo.

Até o final da tarde de ontem, ele não tinha sido encontrado pela polícia. Porém, outro funcionário foi detido por suspeita de facilitar a saída dos produtos. Ele foi levado para prestar esclarecimento na delegacia.

Segundo o diretor do hospital Rodrigo de Aquino, será aberto um processo administrativo podendo os envolvidos perderem os cargos. Na ficha de Elias Domingos, consta que ele trabalha desde o ano de 2002 na instituição. 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASÍLIA

Governo se rende às indicações políticas para aumentar base

BRASIL

Luiz Eduardo Ramos: 'Quero fidelidade ao governo nas pautas para o País'

DOURADOS

Após morte de criança em hospital, polícia investiga suspeita de estupro

Laudo médico encontrou lesão antiga sem relação com o óbito
BRASIL

Bolsonaro tem até 4 de outubro para vetar ou sancionar lei eleitoral

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião