Terça, 20 de Fevereiro de 2018

Senador quer desobrigar uso de terno no Congresso

31 OUT 2008Por 23h:56
     

BRASÍLIA

 

O senador Gérson Camata (PMDB-ES) planeja propor uma medida que considera "ecologicamente correta": desobrigar o uso de terno e gravata no Congresso. Segundo ele, se os senadores seguirem o exemplo adotado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e trocarem o terno e a gravata por "uma calça e uma camisa decentes", seria possível aumentar a temperatura do ar condicionado do Congresso e, com isso, economizar energia. A "revolução" nos trajes masculinos do Senado será objeto de um projeto de resolução de sua iniciativa.

        Antes, porém, ele vai pedir à Mesa Diretora do Senado que forneça dados sobre o gasto com a energia com o funcionamento dos aparelhos de ar-condicionado. Camata diz que não observa relação entre a roupa dos senadores e a liturgia do cargo. "O que acaba com a liturgia é a roubalheira, é a corrupção, e não o que se veste", afirma. No caso da ONU, em que o terno foi trocado por calça escura e camisa de manga cumprida, ele disse que houve economia de U$S 3 milhões ao ano.

Leia Também