Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

Senador já foi preso pela revolução e agora é caçado pelo PMDB

22 MAR 2008Por 16h:00
     

 

 

A história política do senador Valter Pereira passa por perseguições dos generais da revolução que comandavam o País nos anos de chumbo. Hoje ele é caçado por companheiros do PMDB, partido que ajudou a fundar no Brasil, para não deixá-lo a concorrer à reeleição em 2010. O governador André Puccinelli (PMDB) não fala sobre o assunto, mas vem negociando nos bastidores de Brasília aliança do seu partido com o PT em Mato Grosso do Sul. Para isto, é preciso abrir uma vaga de senador a seu rival das eleições de 2006 e hoje aliado Delcídio do Amaral.

Valter é considerado um parlamentar rebelde e independente dentro do partido. Ele não aceita a subordinação ao governador e nem ao Palácio do Planalto. A sua história de militante político passa pelo MDB e depois prosseguiu no PMDB. Portanto, nunca trocou de partido, como fez o governador André Puccinelli, que se aventurou no PSDB e depois voltou ao PMDB pelas mãos do próprio Valter.

Por causa de sua rebeldia nos anos de chumbo, Valter foi preso três vezes. Mesmo assim, não renunciou aos seus ideais políticos e nem se curvou aos seus algozes. Com a retomada da democracia, o senador corre o risco de ser vítima de uma conspiração no PMDB para detonar a sua candidatura à reeleição.

Leia Também