Domingo, 10 de Dezembro de 2017

60 anos

Senador faz homenagem ao Correio do Estado

5 FEV 2014Por Clodoaldo Silva, de Brasília00h:00

As bandeiras populares, o acentuado espírito democrático e a determinação que o Correio do Estado adotou em seus 60 anos de existência - a ser completado na próxima sexta-feira, dia 07 de fevereiro - motivaram homenagem ao jornal na sessão de ontem do Senado Federal, em Brasília. O senador Ruben Figueiró (PSDB-MS) ressaltou a visão empreendedora e a capacidade intelectual do fundador do periódico, jornalista e professor J. Barbosa Rodrigues.

Em seu pronunciamento, Figueiró apontou que o dia 7 de fevereiro “trata-se de um marco histórico, não somente porque se comemora a longevidade de um importante órgão da imprensa do nosso Estado, mas principalmente porque ele reflete a força da tradição da nossa terra, tendo estabelecido, ao longo de décadas, uma simbiose com a identidade cultural de nosso povo”.

O parlamentar sul-mato-grossense destacou que o “Correio do Estado sempre foi um jornal de posições fortes, aberto às mais diversas correntes de opinião, defensor de bandeiras importantes para a sociedade sul-mato-grossense”, citando a luta para superar a deficiência de energia elétrica em Campo Grande, nas décadas de 50 e 60, e sua tomada de posição primordial em defesa da divisão do Estado de Mato Grosso, então uno, nos anos 70.
Ao relatar a trajetória do Correio do Estado, Figueiró lembrou que foi colaborador do jornal, ainda estudante, ao escrever artigos. “O primeiro deles foi publicado na edição de 11 de março de 1955, cujo tema era “Livros Didáticos”. Desde então, além de leitor, sou colaborador assíduo do jornal, sempre respeitado em minhas opiniões, fossem elas quais fossem”, enfatizou o parlamentar.

A importância do periódico esta no fato de que, segundo o senador sul-mato-grossense, “desde suas primeiras edições, o Correio do Estado marcou sua característica como jornal opinativo, presente nos acontecimentos marcantes da história econômica, social e política da região e do País. Desde os primeiros momentos, suas páginas conquistaram a preferência e as mentes dos mato-grossenses. O Correio do Estado empolgou a opinião pública devido às bandeiras populares que assumiu nas décadas de 50, 60 e 70 do século passado, conduzindo-as com acentuado espírito democrático e determinação editorial, tornando-se assim o órgão de imprensa mais influente de nosso Estado, o Mato Grosso do Sul”.

O senador Ruben Figueiró destacou “o papel clarividente do jornalista e professor J. Barbosa Rodrigues, cofundador do Correio do Estado, expressão maior de nossa intelectualidade. Com visão ampla das curvas que se seguiriam após o horizonte, ele transformou um pequeno jornal do interior do Brasil numa das vozes mais importantes da Região Centro-Oeste”, enfatizando a importância do professor em sua formação: “Eu o prezava e muito de minha vida política e parlamentar devo a ele”.

O parlamentar não poupou adjetivos ao jornal, enfatizando que sempre foi polêmico, vibrante, independente, moderno, com uma equipe de profissionais de alto nível, sendo que influenciou a ampliação dos conceitos de liberdade de imprensa com extremo respeito aos seus leitores, parabenizando ressaltando o trabalho da “família Barbosa Rodrigues, seus diretores, jornalistas, funcionários e demais colaboradores, que hoje lutam para manter presente os sonhos de seu líder maior”.

Também o senador afirmou que a imprensa escrita é que garante o espaço da análise mais profunda e detalhada dos fatos, que permite a troca de ideias contrárias com imparcialidade, citando como exemplo a presença de colaboradores nos jornais, muitos dos quais defendem pontos de vistas divergentes da orientação dos proprietários dos veículos impressos.

Ao finalizar seu discurso, Figueiró reiterou “à família Barbosa Rodrigues, a todos aqueles que dirigem o importante órgão, as minhas homenagens, o meu respeito e a sincera convicção de que o Correio do Estado continuará a ser sempre o baluarte da imprensa livre no meu Estado. Mato Grosso do Sul pode se honrar de ter entre os grandes órgãos da imprensa nacional um jornal que representa não só o pensamento do povo da minha terra, mas também o valor da imprensa nacional”.

Leia Também