Campo Grande - MS, quarta, 15 de agosto de 2018

LUTA NA FRONTEIRA

Senador defende integração e diz que Ponta Porã será exemplo contra a droga

27 MAI 2011Por FAUSTO BRITES19h:00

O presidente da Subcomissao Temporária de Políticas Sociais Sobre Dependentes de Álcool, Crack e Outros, senador Wellington Dias, do Piauí, disse hoje, em Ponta Porã, ser fundamental a ação integada com o fortalecimento de trabalhos que tenham foco no dependente.

Afirmou  acreditar que Ponta Porã possa servir como exemplo para definição de políticas para todas as mais de 35 cidades brasileiras de fronteira seca que sofrem influência da entrada de drogas ilícitas através de países vizinhos. Suas declarações foram durante o Encontro Internacional de Debate sobre Políticas de Enfrentamento ao Crack

"Para que possamos ter uma ação eficiente precisamos trabalhar de forma integrada, as forças de segurança ao lado do tratamento ao usuário”, afirmou o senador. “É um aprendizado o que estamos tendo aqui. Ponta Porã vai representar a situação das fronteiras e vamos seguir para o caminho certo”.

O governador André Puccinelli, que também participou do encontro, defendeu que os poderes públicos se unam para combater a disseminação das drogas. André participou no município fronteiriço do ck.

O evento reuniu membros da subcomissão do Senado que trata do tema, prefeitos de cidades da fronteira com o Paraguai, representantes das forças de segurança e de instituições de assistência social, tanto do Brasil quanto de cidades paraguaias vizinhas. “A epidemia do século é a droga, é o crack, que se insere cada vez mais na sociedade. Devemos todos entrar nessa batalha, porque são nossos filhos, são nossos netos que estão vulneráveis”, disse André.

Coordenadora do encontro, a secretária municipal de assistência social, Doralice Alcântara, afirmou que no município existe uma boa prática que vem dando resultado, aplicando a prevenção ao uso de droga entre os jovens por meio de trabalho articulado entre as diversas secretarias, como as de Saúde, Educação e Assistência Social. 

 Para o prefeito Flávio Kayatt, a grande adesão ao encontro mostra que o enfrentamento ao crack “não é uma luta dos governantes, mas de todas as pessoas de bem”  e que é preciso cada vez mais unir os técnicos e as instituições que de alguma forma estão ligadas ao combate ao tráfico e ao vício.

 Participaram também dos debates a vice-governadora, Simone Tebet; a secretária de Trabalho e Assistência Social, Tânia Garib e o senador Waldemir Moka;

Leia Também