Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

PARLAMENTARES

Senado trocará frota de carros e celulares

7 ABR 2011Por folha14h:42

O Senado vai substituir a frota de carros oficiais da Casa, disponível para todos os 81 senadores. Com gasto anual de R$ 17 milhões com os veículos, o comando da instituição vai leiloar os carros antigos para substituí-los por novos --que serão comprados ou alugados, de acordo com estudo a ser executado pela primeira-secretaria do Senado.

O senador Cícero Lucena (PSDB-PB), primeiro-secretário, disse que a frota está sucateada após oito anos de uso. "Eles estão consumindo mais combustível, estão gastando mais peças, estão tendo custo elevado de mão de obra para a manutenção. Quando você tem carro novo, tem vários modelos que dão quatro, cinco anos de garantia, dão manutenção. Eu não acredito que seja papel do Senado ter uma grande oficina", afirmou.

Lucena informou à Mesa Diretora do Senado nesta quinta-feira que vai fazer um levantamento de todos os gastos com transportes na Casa --incluindo os custos de combustíveis de cada veículo.

"Feito esse diagnóstico, o que pode ser feito para torná-lo mais eficiente num menor custo. Aquisição, locação? Vamos dimensionar para tomar a decisão."

Além dos veículos de 81 senadores, há outros carros disponíveis para a instituição que também serão substituídos. Cada veículo de parlamentar está avaliado, em média, entre R$ 14 mil e R$ 15 mil.

CELULARES

O Senado também vai substituir os telefones celulares dos 81 senadores por Iphones. Lucena justificou a troca ao afirmar que os modelos antigos não permitem aos senadores usar a internet nem enviar mensagens, o que elevaria os gastos com ligações da Casa.

"Entendemos que isso é um mecanismo de redução de custo porque muitos assuntos podem ser tratados por mensagem, o que é mais barato que uma ligação", afirmou.

Segundo o senador, não haverá custos para o Senado com a troca dos aparelhos uma vez que as operadoras de telefonia oferecem permuta com a instituição. "Não vai ter aumento de custo. São de graça. A cada ano estamos vendo que está reduzindo os custos de telefonia, e o Senado tem como buscar isso."
 

Leia Também