Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

VOETUR TURISMO

Senado paga passagens <br>5 vezes mais caras

Senado paga passagens <br>5 vezes mais caras
09/02/2014 08:58 - terra


O Senado vem pagando para servidores e senadores passagens internacionais cujos preços chegam a ser cinco vezes maiores que os encontrados nos sites das companhias aéreas. Segundo reportagem do jornal O Globo deste domingo, alguns senadores já reclamaram providências da direção do Senado em discursos no plenário, e outros compram diretamente nas companhias aéreas suas passagens. O senador Walter Pinheiro (PT-BA) viajou para Miami no ano passado como integrante da Comissão de Ciência e Tecnologia. A passagem de classe executiva emitida pela Voetur Turismo e Representações Ltda. - contratada pelo Senado com dispensa de licitação - variaram, desde as primeiras solicitações, de R$ 14 mil a até R$ 20,8 mil.

Assustado com o valor, o senador pesquisou no site da companhia aérea e comprou com seu cartão de crédito uma passagem, em classe econômica, por R$ 4.272,78. Depois disso, o senador optou por comprar ele mesmo suas passagens, pedindo ressarcimento depois. Segundo O Globo, a Voetur foi contratada em agosto de 2013 por 180 dias e recebeu do Senado R$ 1.575.137. Pelo contrato, deveria fornecer mil passagens nacionais, 130 passagens internacionais e 130 seguros. O departamento jurídico da agência informou que ela foi selecionada por apresentar o menor preço, R$ 19,95, a título de taxa de agenciamento de viagem, sendo esta a sua única e exclusiva remuneração. O contrato, que se encerra no próximo dia 14 de fevereiro, não será renovado, porque há uma licitação em curso.

Felpuda


A continuar disparando tantas críticas ácidas contradizendo o seu partido, que em nível nacional ganhou até um ministério, político cá dessas bandas poderá ser colocado de escanteio e, se continuar nessa cruzada nada palatável para as lideranças, ser convidado gentilmente a “procurar o caminhão do qual caiu”, como se diz no popular. Os comentários são de que o dito-cujo age assim mais para ganhar holofotes. Esqueceu-se, pelo que se vê, que poderá ocorrer curto-circuito. Ui!