Segunda, 11 de Dezembro de 2017

PORCELANA DOURADA

Senado deve gastar
R$ 71 mil em louças novas

24 JAN 2014Por r708h:24

Os senadores devem começar o ano legislativo com louças novas nas cozinhas e nas copas das unidades administrativas da Casa. No primeiro dia útil de fevereiro, o Senado realiza pregão para comprar R$ 71.800 em materiais como xícaras e panos de prato. No edital, o Senado solicita mais de 17 mil itens de cozinha e copa. Na lista, estão 50 bules de café que, pelas especificações exigidas, custam R$ 140 cada um.

Além disso, são solicitadas 3.600 xícaras de porcelana branca com pires e frisos dourados. Outra exigência é que a louça tenha gravado, também em dourado, o logotipo do Senado. Cada uma deve sair por quase R$ 10. O Senado também pede 600 panos de algodão e com tecido atoalhado felpudo. Pelas especificações, cada pano custa mais de R$ 7. O edital pede ainda 600 garrafas térmicas e 13 mil pacotes de guardanapo, com 50 unidades cada um.

R$ 300 mil em serviços

Mas essa não é a única licitação que o Senado vai fazer para iniciar os trabalhos legislativos. Também estão abertos editais para assinatura digital de jornais e de revistas e para instalação de pontos de cartão de crédito e de débito. O Senado quer a assinatura de 13 jornais e seis revistas para acessar, por meio da internet, o conteúdo dos veículos de comunicação. O serviço, com autorização para “copiar, reproduzir e imprimir as notícias de interesse do Senado” deve ser contratado por R$ 208 mil, por um ano.

O edital exige senhas individuais de acesso para os senadores, para a biblioteca e para a Secretaria de Transparência do Senado. A Casa quer ter acesso ao conteúdo de seis revistas nacionais e uma de tiragem internacional, além de sete jornais de circulação nacional e seis jornais regionais. Outro pregão que deve acontecer antes de os senadores voltarem das férias prevê a contratação de uma empresa para prestação de serviços de transações eletrônicas e manuais com cartões de crédito e débito. A justificativa do Senado é facilitar o comércio nas livrarias e feiras de livros realizadas pela Casa, além da livraria virtual do Senado. O contrato de um ano deve ser firmado por R$ 18.700.

Leia Também