PORTADORES DE DIPLOMAS

Sem vestibular e em meio ao Sisu, UFMS abre vagas

Sem vestibular e em meio ao Sisu, UFMS abre vagas
21/01/2014 00:00 - EDUARDO MIRANDA


Paralelamente à oferta de 4.425 vagas por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do Ministério da Educação, e Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) abre a partir da próxima quinta-feira, dia 23, 3.738 vagas em seus cursos de graduação, em todas as suas unidades, para pessoas que já tem ensino superior.

Depois que aderiu exclusivamente ao Sisu, a UFMS deixou de arrecadar com o vestibular, uma vez que as vagas para primeira graduação são oferecidas exclusivamente por meio do sistema do Ministério da Educação, por meio da nota do estudante no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Para o exame de seleção para portadores de diploma, cujas inscrições serão abertas nesta semana, a taxa de inscrição é de R$ 100, o que significa um faturamento de R$ 378 mil para a universidade, no caso de cada uma das vagas disponíveis ter pelo menos um candidato.

Em Campo Grande, por exemplo, há pelo menos sete vagas para o curso de Engenharia Civil, cuja nota de corte no Sisu foi a terceira maior do campus-sede, menor somente que a de Medicina e Direito (que não tem vagas disponíveis para portadores de diploma).
Há ainda vagas em cursos como Comunicação Social, Farmácia, Fisioterapia, Análise de Sistemas entre outros.

O edital está disponível no site www.copeve.ufms.br, por onde também são realizadas as inscrições, cujo prazo termina no próximo dia 31. 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".