sábado, 21 de julho de 2018

PROTESTOS COORDENADOS

Sem-terra fecham rodovias em oito pontos

26 NOV 2010Por bruno grubertt01h:17

Após dois dias de manifestações coordenadas com bloqueio de rodovias em todo o Estado, trabalhadores rurais sem terra encerraram, ontem à tarde, os protestos. Eles conseguiram agendar uma reunião com superintendente do Incra em Mato Grosso do Sul, Manuel Furtado Neves, e com o presidente nacional do órgão, Rolf Hackbart, que deve vir a Campo Grande no dia 1º de dezembro. Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) também desocuparam a sede do Incra em Campo Grande.

Sem-terra ligados à Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Mato Grosso do Sul (Fetagri) fizeram bloqueios em pelo menos oito pontos de cinco rodovias do Estado. Os bloqueios foram iniciados por volta das 7 horas de ontem, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), e encerraram-se por volta das 11 horas. Apenas em uma das estradas a interdição terminou por volta das 16h30min. De acordo com a PRF, houve negociações para evitar que os protestos prejudicassem os motoristas. A Polícia Rodoviária Estadual e homens da Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais (Cigcoe) também foram até a Rodovia MS-060 e a BR-463.

Os policiais perceberam, de acordo com a assessoria de imprensa da PRF, que os líderes de cada movimentação constantemente entravam em contato por telefone com pessoas em Campo Grande para verificar se poderiam ou não liberar as estradas. Na Capital, integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-terra (MST) acamparam na sede do Incra desde terça-feira.

 Pedidos
As reivindicações dizem respeito à retomada das vistorias e processos de compra de novas propriedades para instalação de assentamentos. No dia 30 de agosto deste ano, uma operação da Polícia Federal apontou esquemas de corrupção no Incra do Estado. A partir dessa data, as negociações ficaram suspensas. A assessoria de imprensa do órgão afirma que os processos já foram retomados, logo depois que o novo superintendente do órgão assumiu a função, em setembro.

Leia Também