Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Sem sentido

9 ABR 10 - 20h:13

Anunciar investimentos milionários ou projetos mirabolantes, sejam públicos ou privados, é uma das predileções dos homens públicos. O chamado PAC2 está aí para ilustrar esta máxima. E, neste mega-programa está prevista a construção de uma ferrovia ligando Porto Murtinho a Panorama, em São Paulo. O traçado inclui, entre outras, a cidade de Dourados. No mesmo pacote também está prevista a liberação de recursos para concluir os estudos de viabilidade econômica de uma ferrovia ligando Cascavel a Maracaju, também passando por Dourados.

Incontestável que estas ferrovias trariam benefícios inestimáveis à economia da região.
Curioso, porém, é que há quase um ano, em maio de 2009, quando o presidente Lula "inaugurou" o Trem do Pantanal, ele informou que já estavam previstos mais de R$ 2 bilhões para implantação da ferrovia entre Paraná e Maracaju. Agora, porém, o PAC2 previu verba para o estudo. Ou seja, aquele anúncio, à época encaminhado por escrito pela Presidência da República, não passava de uma bela promessa. E, com base nisso, as previsões de agora não devem passar disso.

O mais curioso, porém, é que aquele anúncio foi feito no mesmo dia em que o presidente percorreu trecho do Trem do Pantanal e afirmou que ainda em 2010 retornaria para inaugurar a outra parte, entre Miranda e Corumbá. O mandato está na reta final e não existe qualquer possibilidade de este trecho ser incorporado ao passeio turístico. À época, o presidente chegou a sugerir que os organizadores do passeio capturassem algumas onças, jacarés, capivaras, sucuris e aves para colocar dentro do trem, para dar emoção à viagem, que, segundo ele, era muito lenta e monótona. Embora em tom de brincadeira, ele fez uma crítica explícita à falta de condições de tráfego da ferrovia que existe há quase um século e que está subutilizada. Ou seja, ao mesmo tempo em que se aventuravam sobre sucateados trilhos, o presidente e uma infinidade de políticos falavam em construir ferrovias novas, embora não consigam manter o patrimônio que já existe.

As duas novas ferrovias, sendo que uma delas deve estar concluída em três anos, conforme promessa divulgada na última quinta-feira por políticos locais e de Brasília, passam por Dourados. A cidade, contudo, já é atendida há décadas pela velha Noroeste, que está absolutamente abandonada há mais de dez anos e, apesar das promessas, não existe previsão para sua reativação. O argumeto dos detentores da concessão é de que não existe demanda pelo transporte de produtos. Então, se isto é verídico, faz algum sentido investir em estudos, projetos e obras para levar duas novas ferrovias para a região? Alguém necessariamente está mentindo ou tentando enganar a população. Além disso, será que não seria mais barato recuperar aquilo que já existe do que fazer uma obra nova?

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Novo código antidoping não punirá consumo de maconha e cocaína
ATLETAS

Novo código antidoping não punirá consumo de maconha e cocaína

Alta no preço da carne alavanca aumento da cesta básica
CAMPO GRANDE

Alta no preço da carne alavanca aumento da cesta básica

Em MS, 130 mil nascidos em setembro e outubro devem receber R$ 50 milhões do FGTS
ANTECIPAÇÃO

Em MS, 130 mil nascidos em setembro e outubro devem receber R$ 50 milhões do FGTS

Corpo encontrado carbonizado no Anel Viário é de adolescente desaparecido
PONTA PORÃ

Corpo encontrado carbonizado é de adolescente desaparecido

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião