Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

Sem mercado no País, calçadistas do RS vão para China

3 MAI 2009Por 16h:30

        Da Redação

                 

Chinês, inglês e português são as línguas oficiais da empresa de produção de sapatos que o gaúcho Ricardo Leite fundou há quatro anos e meio na cidade de Dongguan, no sul da China, onde se concentra a maior comunidade de brasileiros no país asiático, grande parte dos quais expulsos pela crise do setor calçadista no Rio Grande do Sul.

 

Só em Dongguan são quase 3 mil pessoas que começaram a atravessar o mundo em busca de trabalho e novas oportunidades de emprego há cerca de uma década. Leite chegou há 11 anos, convidado pela Paramont, outra empresa fundada por brasileiros que foi pioneira no processo de transferência da produção de calçados do Brasil para a China.

 

Há quatro anos e meio, Leite e sua mulher, Valéria, abriram a Rival, cujo nome é formado pelas iniciais de seus primeiros nomes. Hoje, o casal tem três filhos e comanda 180 funcionários, cinco dos quais brasileiros, em uma empresa que é responsável pela fabricação de cerca de 4 milhões de pares de sapatos por ano.

 

 

Com informações da Agência Estado

                 

Leia Também