Quarta, 21 de Fevereiro de 2018

Sem limites no sexo

4 JAN 2009Por 15h:20
     

        Da Redação

         

        O medo do fracasso e a curiosidade levam jovens a experimentar, sem necessidade, remédios que facilitam a ereção. Uma pesquisa da Uninove mostrou que 15% dos 360 de homens - entre 18 e 30 anos - já usaram tais medicamentos sem prescrição médica.

        O que eles não sabem é que as conseqüências podem ser graves. "O uso indiscriminado pode gerar desde uma queda de pressão até uma parada cardíaca. As drogas, como a cocaína e o álcool, entre outras medicações, potencializam os efeitos colaterais", alerta o urologista e professor de Medicina Sexual e Reprodutiva da Faculdade de Medicina ABC, Roberto Vaz Juliano.

        Outra consequência do mau uso dos facilitadores de ereção é a Doença de Peyronie, em que traumas na membrana túnica (que recobre o pênis) deixam o pênis torto. "O jovem pode ter relações em excesso, causando traumas irrecuperáveis ao órgão genital", explica o urologista e doutor pela Faculdade de Medicina da USP, Paulo Egydio.

        Apesar de indicadas somente sob prescrição médica, as drogas podem ser conseguidas facilmente em estabelecimentos clandestinos e formais por qualquer um que se predisponha a comprá-las. "É fácil conseguir o medicamento sem receita na maioria das farmácias", afima Paulo Egydio.

Leia Também