Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESPORTES

Sem jogo de abertura, Fifa mantém Morumbi na Copa

Sem jogo de abertura, Fifa mantém Morumbi na Copa
14/04/2010 23:53 -


ZURIQUE, Suíça

A Fifa divulgou ontem um comunicado oficial em que reafirma que o Morumbi não tem condições de receber a abertura da Copa de 2014. Na nota, a entidade também diz que o projeto do estádio do São Paulo permite apenas a realização de jogos da primeira fase e das oitavas de final do Mundial, que acontecerá no Brasil.

Apesar disso, um alto executivo da Fifa revelou, em matéria publicada ontem no Jornal o Estado de São Paulo, que a entidade pretende excluir o Morumbi da Copa de 2014. E que já teria até um plano B para que a cidade de São Paulo não fique fora do Mundial, com a construção de um novo estádio. “As questões relacionadas ao Morumbi estão ligadas à análise técnica do estádio. Até o momento, o projeto apresentado permite que o estádio sedie jogos da primeira e da segunda fase da Copa”, disse o comunicado divulgado pela Fifa, negando o veto ao estádio, mas reforçando a cobrança por mudanças no projeto de reforma do Morumbi.

“A Fifa forneceu aos representantes do Morumbi/São Paulo informações sobre o que eles precisam melhorar para que o estádio seja candidato a receber uma semifinal. E, no momento, esperamos para ver essas melhorias”, explicou a nota. Mas o fato é que os prazos estão acabando e o estádio são-paulino ainda não foi totalmente aprovado.

O departamento de comunicação da Fifa declara que a entidade já avisou aos representantes do projeto do Morumbi que são necessárias melhorias para que o estádio receba jogos das semifinais. A Fifa aguarda para ver essas melhorias.
O e-mail finaliza dizendo que a visita do Secretário Geral Jérôme Valcke nessa semana não está relacionada à análise técnica do Estádio do Morumbi.

Felpuda


As conversas vêm acontecendo muito, mas muito reservadamente mesmo, e dão conta de que suplente poderá receber convocação, assumir a titularidade do cargo e por lá ficar por tempo indeterminado. Como é óbvio, tem gente jurando que nunca ouviu nem sequer falar sobre o assunto. O motivo não seria nada ligado a possíveis atos de irregularidades, mas sim por problemas de ordem pessoal.