Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

sábado, 23 de fevereiro de 2019 - 16h06min

Sem escrúpulos

5 MAI 10 - 21h:47

Arcângela Mota, TV Press

 

O olhar maroto e o sorriso maquiavélico de Werner Schunemann antecedem a descrição do invejoso empresário Saulo, seu papel em "Passione", próxima novela das oito da Globo que estreia no dia 16 de maio. Com a testa franzida e os olhos apertados, o simpático gaúcho de 51 anos parece já ter interiorizado algumas das características de seu personagem na trama de Silvio de Abreu. E deixa evidente a grande expectativa em interpretar um dos vilões da história. "Espero que o Saulo seja unanimidade no ódio popular. Quero fazer um personagem que fique na lembrança das pessoas", empolga-se.

Na trama, Saulo é o filho mais velho do casal Bete e Eugênio Gouveia, interpretados por Fernanda Montenegro e Mauro Mendonça. Ambicioso, ele sonha em assumir a presidência da empresa da família, a Metalúrgica Gouveia. No entanto, para decepção dele, depois que o pai morre quem fica à frente dos negócios é a matriarca Bete. A partir de então, Saulo entra em uma grande disputa na tentativa de desmoralizar a mãe e tomar o comando da empresa. "Ele é um garoto mimado de 45 anos de idade. Tudo que quer é o poder", analisa Werner. Casado com Stela, de Maitê Proença, e pai de Danilo, Lorena e Sinval, interpretados respectivamente por Cauã Reymond, Tammy Di Calafiori e Kayky Brito, Saulo também não tem um bom relacionamento dentro de casa. "O grande dilema do personagem é não conseguir se relacionar direito com ninguém. É uma pessoa detestável", sintetiza o ator.

Para compor o personagem, Werner se inspirou em figuras emblemáticas do cinema, como o canibal Hannibal Lecter, vivido por Anthony Hopkins em "O silêncio dos inocentes", e o mafioso Michael Corleone, interpretado por Al Pacino na trilogia "O poderoso chefão". Mas ele reconhece que os teores de maldades são diferentes. "Busquei referência neles, mas sei que o Saulo não tem competência para ser tão mau. Mas quero que ele seja marcante", afirma. O ator admite que sua maior dificuldade tem sido lidar com os desequilíbrios emocionais e a intensa carga emocional do personagem. "A inconstância dele foi meu primeiro pânico quando comecei a trabalhar. É um papel difícil e me custa muito emocionalmente. Saio carregado das gravações", desabafa.

Longe da tevê desde 2008, quando interpretou o também mau-caráter Tomás na novela "Beleza pura", Werner conta que já estava com saudade de voltar a atuar nos folhetins. Mas ressalta que, mesmo assim, não é qualquer personagem que o deixa empolgado. "Gosto de ter espaço para aprofundar. Tenho 50 anos de idade e não quero mais fazer tolices", ressalta o ator, que, após 20 anos de carreira no teatro e no cinema, só fez sua estreia na tevê em 2003, quando interpretou o Bento Gonçalves na minissérie "A casa das sete mulheres", exibida pela Globo.

Após sete anos nesta emissora, e a única em que trabalhou, o ator garante se sentir realizado com os papéis que já interpretou. Mas nem por isso ele encara seu trabalho na tevê com tranquilidade. "Novela é a coisa mais difícil que eu já fiz. Tem um outro funcionamento industrial e é mais complicado fazer bem feito", avalia.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Perícia em MS amplia capacidade de realizar exames de DNA contra crimes
SEGURANÇA PÚBLICA

Perícia amplia realização de exames de DNA contra crimes

Corrente arrecada doações para circo que pegou fogo no Jardim Los Angeles
SOLIDARIEDADE

Corrente arrecada doações para circo que pegou fogo

Idoso tenta matar o próprio filho com espingarda na Capital
UM DIA DE FÚRIA

Idoso ameaça matar o próprio filho com espingarda

Ex-PM que furtou cadáver deixa presídio após aval da Justiça
CASO ROSILEI

Ex-PM que furtou cadáver deixa presídio após 6 dias

Mais Lidas