Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

VÔLEI FEMININO

Sem descuidar de Porto Rico, Brasil se prepara para jogo mais difícil do grupo

2 NOV 2010Por Da Redação02h:00

Nas três primeiras partidas do Campeonato Mundial, três vitórias. Depois de um dia sem jogos pela competição, a seleção feminina de vôlei lutará pelo quarto triunfo hoje, à 1h30min (MS), contra Porto Rico, na Hamamatsu Arena, no Japão. No entanto, sem descuidar do adversário imediato, o time brasileiro já se prepara para o maior desafio da primeira fase: o confronto com a Itália.

"Não podemos perder o ritmo. Temos que entrar em todas as partidas da mesma forma como jogamos contra a Holanda. Não podemos esquecer que depois de Porto Rico vem a Itália. Levamos todos os resultados para a segunda fase e precisamos manter a pegada para continuarmos vencendo", disse o técnico José Roberto Guimarães.

Já classificados para a segunda etapa do Mundial, Brasil e Itália jogarão nesta quarta-feira, a partir das 6h (MS), no encerramento da primeira fase. Para a levantadora Fabíola, que entrou como titular na partida contra a Holanda e deve permanecer no posto, é preciso encarar cada jogo como uma decisão. "Não podemos perder nenhum jogo. O ideal é chegarmos à segunda fase com cinco vitórias. Amanhã, jogaremos contra Porto Rico. Todas as partidas serão difíceis e importantes, mas o time italiano é o nosso principal adversário no grupo. Esperamos um jogo muito difícil. Existe uma rivalidade grande entre Brasil e Itália", comentou a levantadora.

Conhecedora do voleibol italiano, já que atuou no país por quatro temporadas - entre 2004 e 2008 -, a oposto Sheilla sabe da importância de uma vitória diante das tradicionais rivais. "A partida contra a Itália deve ser uma espécie de final da primeira fase, já que decidirá o primeiro lugar do grupo. As italianas têm um conjunto forte e uma defesa muito boa. Será uma partida difícil e temos que entrar concentradas", comentou Sheilla, que terminou como a maior pontuadora nos dois jogos em que esteve em quadra: contra República Tcheca e Holanda. Na estreia contra o Quênia, a oposto foi poupada por causa de dores nas costas.

Leia Também