Sem acordo com Motorola, Xbox pode ser banido dos EUA

Sem acordo com Motorola, Xbox pode ser banido dos EUA
23/06/2012 03:00 - TERRA


A Microsoft recusou na última quinta-feira (21) a proposta de acordo com a Motorola, que alega quebra de patentes da empresa de Bill Gates, podendo assim banir a importação do Xbox 360 e de aparelhos com tecnologia Android. De acordo com agência de notícias Reuteurs, a Microsoft demanda pagamento de royalties de todas as empresas que usa o sistema Android, da Google, com tecnologia chamada Active Sync, que atualiza calendários e outros dados automaticamente. A empresa entrou em acordo com todas companhias, exceto a Motorola.

Por outro lado, a Motorola Mobility, também do grupo Google, exige royalties de suas tecnologias de vídeo e wireless usado pelo Xbox 360, videogame da Microsoft. No acordo negado, a Motorola afereceu em pagar à Microsoft US$ 0,33 por cada Android com tecnologia Active Sync e pediu royalty de 2,225% de cada Xbox vendido, além de US$ 0,50 para cada cópia de Windows usando sua patente.

"Enquanto recebemos com boa fé qualquer esforço de acordo, é difícil aplicar este rótulo sobre uma exigência que cobra da Microsoft pagamento de royalties ao Google bem acima das taxas de mercado, e que se recusa a licenciar todas as patentes da Microsoft infringidas pela Motorola", disse em comunicado Horacio Gutierrez, vice-conselheiro geral da Microsoft.
Em maio a Comissão Internacional do Comércio recomendou uma proibição de importação de aparelhos com Android e Xbox 360 até as empresas entrarem em um acordo. Se um solução não for encontrada, a decisão sobre a proibição ficará nas mãos do presidente dos Estados Unidos, Barak Obama, no final de agosto.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".