terça, 17 de julho de 2018

TAXA

Selic em alta já penaliza a poupança

7 FEV 2011Por 13h:35

Janeiro é um mês em que a poupança é penalizada pelas contas de início de ano. Mas, em 2011, a alta na taxa básica de juro fez com que o resultado das cadernetas fosse bem abaixo do registrado nos anos anteriores.

Dados divulgados pelo Banco Central nesta segunda-feira (7) revelaram que a captação líquida – depósitos menos saques - da poupança foi de R$ 275 milhões no primeiro mês deste ano. Em janeiro do ano passado, havia sido de R$ 2,619 bilhões.

Para o professor da Trevisan Escola de Negócios, Alcides Leite, o motivo que pode ser apontado para a captação mais fraca da poupança é o aumento da taxa básica de juro, promovido pelo Banco Central para conter a inflação. Em janeiro, o Copom (Comitê de Política Monetária) elevou a taxa Selic em 0,50 ponto percentual, para 11,25% ao ano.

Essa mudança estimula a migração dos investidores para fundos de renda fixa, que são remunerados com base na Selic. “Outras variáveis, como bolsa e dólar, não tiveram muita mudança. Queda de renda não houve, então, pode ser a migração”, explicou Leite.

Mês de despesas
De acordo com ele, o mês de janeiro já é de mais despesas das famílias, como o IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano) e o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículo Automotor), mas o resultado de 2011 sofreu o agravante da taxa de juro em alta.

“Sim, janeiro é um mês de muitos gastos e, com o aumento do juro, há ainda a maior atratividade da renda fixa”, disse.

Para 2011, o professor espera que a poupança mantenha um estoque parecido com o do ano passado, sem grandes expansões nas captações. Entre os motivos para essa previsão, estão uma inflação maior, que faz sobrar menos recursos para aplicação, a atração da renda fixa e um ano de menor crescimento econômico.
 

Leia Também