Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MÁ INFLUÊNCIA

Segurança transfere presos que estariam comandando ações criminosas em MS

Segurança transfere presos que estariam comandando ações criminosas em MS
28/02/2014 18:00 - da redação


A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) procedeu, nesta sexta-feira (28), a transferência de 10 detentos do presídio de Segurança Máxima da Capital e do Harry Amorim Costa, de Dourados. Eles foram remanejados para o Presídio Federal de Campo Grande.

Os presos são considerados de alta periculosidade, líderes de facções criminosas, que estariam planejando crimes dentro dos presídios. Não há informação se eles tinham envolvimento no esquema de fuga de Marcola, líder do PCC, de um presídio de São Paulo. O grande esquema de fuga tinha como rota MS, mas foi descoberto pela polícia.

A Sejusp informa que realiza testes com aparelhos de bloqueio de celular constantemente no Complexo Penitenciário do Jardim Noroeste, em Campo Grande, com o objetivo de garantir o efetivo corte do sinal dentro dos presídios sem interferir na comunicação de moradores da região. A medida se faz necessária para evitar que detentos articulem via telefone crimes de dentro dos estabelecimentos penais.

A Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), com o apoio do Batalhão de Choque da Polícia Militar, realizou operações pente-fino em busca de armas artesanais, drogas e celulares. E Policiais do Batalhão de Operações Especiais e do Choque participaram de treinamentos de intervenção tática em casos de motins e rebeliões em unidades prisionais, com a finalidade de agir rapidamente e evitar piores danos nesses casos. Novas ações estão programadas.

Durante as buscas, a Gerência de Inteligência do Sistema Penitenciário (GISP) identificou a existência de um comércio paralelo de alimentos e produtos por internos com preços superfaturados, ao contrário da Cantina oficial do presídio, que possui preços e relação do que pode ser vendido tabelados, inclusive com monitoramento do Ministério Público Estadual. Entre as medidas tomadas para coibir essa ação, um Inquérito Policial foi aberto. 

Felpuda


É grande a expectativa em torno de qual foi a justificativa de conhecida figura que beneficiou sujeito, e este, aproveitando a, digamos, boa vontade demonstrada, simplesmente “sumiu do mapa”. Órgão nacional pediu explicações para o “benfeitor”, e o prazo já venceu. Como as decisões por lá não ficam escondidas do distinto público, logo, logo, a curiosidade deverá ser contemplada. É esperar para conferir!