terça, 17 de julho de 2018

VIOLÊNCIA

Segurança em postos de saúde será reforçada a partir de dezembro

17 NOV 2010Por MICHELLE ROSSI02h:40

As 62 unidades de saúde de Campo Grande vão receber reforços de segurança com a incorporação de 50 guardas municipais dos 220 que se formam em dezembro. Atualmente, já fazem a segurança das unidades, 218 guardas que portam apenas tonfas (cacetetes). De acordo com o tenente-coronel, Paulo Cesar Monteiro Ayres, que gerencia a Guarda Municipal, o efetivo será designado para as dez unidades de saúde mais violentas da Capital, que são, pela ordem: Vila Almeida, Tiradentes, Guanandi, Coophavilla, Universitário, Nova Bahia, Aero Rancho, Moreninhas, Coronel Antonino e Lar do Trabalhador.

Em audiência pública realizada ontem na Câmara Municipal de Campo Grande também foram apresentadas medidas para tentar conter a violência nos postos. "Acho que o problema é tanto de segurança pública quanto de saúde pública. Medidas nas duas áreas devem ser tomadas para reverter esse quadro de violência", disse o presidente da Câmara Municipal, Paulo Siufi, que inclusive considerou a possibilidade de requisitar policiamento militar para os postos de saúde, caso "essa seja uma das estratégias para acabar com a violência. Mas, sem dúvida, precisamos rever a gestão da saúde para identificarmos os pontos que estão causando problemas em locais que deveriam ter tranquilidade para um atendimento profissional", ponderou.

De acordo com registros oficiais da Guarda Municipal de Campo Grande foram registradas de junho a outubro de 2010, 393 ocorrências nas 62 unidades da Capital, entre agressões verbais, físicas e porte ilegal de arma.

Leia Também