DECISÃO

Seguradora terá que pagar R$ 100 mil para herdeiros

Seguradora terá que pagar R$ 100 mil para herdeiros
30/01/2014 14:30 - DA REDAÇÃO


O juiz titular da 2ª Vara Cível de Campo Grande, Marcelo Câmara Rasslan, condenou uma empresa de seguros ao pagamento de indenização, no valor de R$ 100 mil, para três herdeiros. Os autores são filhos do empregado de uma empresa de vidros temperados e beneficiário de um seguro em grupo, com cobertura no caso de morte. No entanto, depois do falecimento do pai, não receberam o seguro pela via administrativa. Desse modo, pedem pela condenação da empresa ao pagamento do seguro contratado, no valor de R$ 200 mil. 

Em manifestação, uma mulher requereu sua inclusão na ação de indenização, alegando que mantinha uma união estável com o falecido e, assim, deseja receber uma parte do valor do seguro.  Em sua decisão, o juiz analisa que “as provas documentais acostadas aos autos comprovam que o homem era funcionário da contratante e, em consequência, segurado da apólice de seguro coletivo. O termo de rescisão de f. 44 comprova que a extinção da relação de emprego ocorreu somente em 18/09/11, devido à morte do trabalhador. Logo, era segurado da apólice de seguro coletivo na data da sua morte, sendo devido o pagamento da indenização”.

Para o magistrado, uma vez não provada a qualidade de companheira da terceira interessada, capital segurado cabe aos herdeiros.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".