Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

Segundo Polícia, mulher pagou para ser assassinada

15 AGO 2009Por 08h:05
     

Da Redação

 

De acordo com informações da polícia, uma mulher de 30 anos, que foi assassinada com um tiro na cabeça em Caucaia, na região metropolitana de Fortaleza (CE), contratou o próprio assassino por R$ 500 e um laptop.

 

O corpo da comerciante Lidiana Severo de Oliveira foi encontrado em um carro abandonado na terça-feira (11), na zona rural de Caucaia.

 

Na véspera de sua morte, a mulher saiu mais cedo da concessionária de automóveis onde trabalhava e foi para uma região de comércio ambulante supostamente em busca de seu algoz, que ainda suspeita que ela estivesse aflita em razão de problemas financeiros e que estivesse também sofrendo ameaças.
        
        Um dos ambulantes abordados pela comerciante aceitou a proposta. Preso, Ricardo do Nascimento Alcântara, 40, confessou o crime, de acordo com a polícia.

 

O delegado Andrade Júnior, do Departamento Antissequestro, diz que câmeras do controle de tráfego mostram o momento em que o ambulante entra no carro da vítima, às 10h50, sem demonstrar violência.
        
        No depoimento, segundo a polícia, Alcântara disse ter sido levado para a casa de praia da mulher, a 60 quilômetros de Fortaleza, onde almoçaram e tomaram cerveja. O suspeito disse ter recebido ainda um revólver calibre 38 e uma blusa, caso se sujasse com sangue.

 

Além do dinheiro e do computador, ele ficou também com um brinco, um relógio e um cordão de ouro da vítima.
        
        De acordo com a polícia, o suspeito disse que a mulher chegou a deixar um bilhete que o inocentava, mas ele queimou a mensagem para não manter uma prova que o incriminasse.

 

Segundo o delegado, antes do crime Lidiana ainda telefonou para a irmã pedindo que ela tomasse conta da filha, de 13 anos. A comerciante não era casada e não tinha seguro de vida, segundo a investigação.
        
        A família diz considerar a história "absurda", mas o delegado afirma ter "100%" de certeza de que o crime foi "encomendado".

 

 

Com informações do Bol Notícias

Leia Também