ALERTA

Sedentarismo mata tanto quanto o vício em cigarro, diz estudo

Sedentarismo mata tanto quanto o vício em cigarro, diz estudo
14/08/2012 00:00 - Band


De acordo com um estudo publicado pelo jornal médico Lancet, cerca de um terço dos adultos de todo o planeta está literalmente empurrando a própria saúde com a barriga. Hoje, o sedentarismo mata 5.3 milhões de pessoas anualmente -- tanto quanto o tabagismo.

Segundo o time de 33 cientistas, uma em cada dez mortes por doença do coração, diabetes e câncer está relacionada à falta de exercício físico. Além disso, eles descobriram que, entre os 122 países participantes, as pessoas que vivem nos mais ricos são as menos ativas, principalmente no Reino Unido -- onde praticamente dois terços deles não fazem qualquer atividade física.

Muitos especialistas já tratam o problema como pandemia, sugerindo que o público precisa ser mais alertado sobre os riscos do sedentarismo do que apenas lembrados sobre os benefícios de ser ativo. Para eles, é também responsabilidade dos governos tornar as atividades físicas mais convenientes, acessíveis e seguras. A prevenção, no entanto, não deve ser deixada de lado e é menos custosa do que se imagina: 150 minutos de exercício moderado, como caminhar ou andar de bicicleta, uma vez por semana são suficientes.

Se você não consegue largar o cigarro e já está pensando em zoar aquele seu amigo que faz todas as refeições na cama, então pode tirar o sorriso sarcástico do rosto. É importante lembrar que o número de fumantes é bem mais baixo que o de pessoas sedentárias, o que torna o vício em tabaco mais perigoso para o indivíduo.  

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".