quarta, 18 de julho de 2018

ÁREAS DE RISCO

Secretário diz que aguarda Sanesul

9 FEV 2011Por DA REDAÇÃO15h:54

A Prefeitura de Corumbá está aguardando a Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul (Sanesul) concluir as ligações domiciliares de água e esgoto no conjunto habitacional Ana de Fátima Brites Moreira, o PAC-Casa Nova, para reassentar famílias residentes em áreas de risco nas encostas dos bairros Cervejaria, Generoso e Beira Rio. A informação é do secretário de Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbanos, Ricardo Campos Ametlla, que, desde a terça-feira à tarde (8), está acompanhando o desmoronamento ocorrido no bairro da Cervejaria, que vitimou uma pessoa.

"Estamos reforçando o pedido e tão logo os serviços estejam concluídos, providenciaremos o reassentamento das famílias que residem nas áreas de risco", afirmou Ametlla. Conforme ele, a orientação do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) é retirar estas famílias das encostas, reassentando-as em um imóvel com toda infraestrutura necessária do novo conjunto habitacional, para evitar novas tragédias.

O secretário lembra que, em outubro do ano passado, a Prefeitura encaminhou solicitação à Sanesul para implantar ligações domiciliares de água e esgoto em 739 unidades habitacionais do novo conjunto. Dessas, 272 já foram atendidas e inauguradas pelo Município em dezembro daquele ano. "Outras 467 casas já estão concluídas, restando somente água e esgoto para que possamos atender as famílias que residem nas encostas dos bairros Cervejaria, Generoso e Beira Rio, em situação de risco", explicou.

Nos bairros da região ribeirinha, às margens do Rio Paraguai, a Prefeitura cadastrou um total de 806 famílias morando em áreas de risco. No entanto, conforme a assistente social Luciane Andreatta de Castro, responsável técnica social do PAC no Município, somente 276 concordaram com a remoção e estão no cronograma de reassentamento no PAC-Casa Nova. A equipe social do PAC constatou que algumas dessas famílias já se mudaram, mas a maior parte não concorda em deixar a região. São pescadores que preferem continuar morando próximo ao rio.

Fonte: Prefeitura Municipal de Corumbá

Leia Também