Quinta, 22 de Fevereiro de 2018

Secovi

Secovi alerta para o risco de inibir investimentos e de desvalorização

11 JAN 2011Por Edivaldo Bitencourt00h:00

Presidente do Sindicato da Habitação (Secovi), o empresário Marcos Augusto Neto critica a implantação do IPTU Progressivo, que poderá inibir investimentos em imóveis e provocar uma grande desvalorização imobiliária. “Ao invés de punir, a prefeitura deveria estimular a ocupação”, defendeu, sobre as áreas consideradas críticas na região central da Capital.

Ele calcula que o investimento necessário para construir em todos os 100 mil lotes seria de, no mínimo, R$ 5 bilhões. O valor considera uma casa popular, que custaria R$ 50 mil a unidade. “Seria uma corrida contra o tempo, com todo mundo em pânico, ou constrói ou põe à venda”, alertou.

Na sua avaliação, o maior risco é o campo-grandense colocar os terrenos à venda. A medida causaria uma desvalorização sem precedentes na cidade, segundo o presidente do Secovi. Ele alerta ainda que pequenos poupadores, que recorreram ao mercado imobiliário para ter segurança no investimento, seriam investimentos dos “tubarões”, que ficariam de olho em aquisições de lotes a “preço de banana”.

O IPTU Progressivo é polêmico e foi até alvo de ações judiciais. No entanto, a medida consta do Estatuto das Cidades como mecanismo de combater a especulação imobiliária e acabar com os vazios urbanos. Nahas frisa que o proprietário terá tempo para construir no terreno. (EB)

Leia Também