Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

Programa Mais Educação

"Se não estivesse aqui, estaria em casa ou na rua"

22 NOV 2010Por 04h:30

"Se não estivesse aqui, estaria em casa, dormindo, ou na rua. Agora, a escola se tornou legal". A declaração é do estudante Gustavo Souza Gonçalves, de 15 anos, um dos participantes do Programa Mais Educação, na Escola Leire Pimentel de Carvalho, desde agosto do ano passado. Exemplo de como o projeto pode ajudar os estudantes, o adolescente conta que suas notas eram em torno de 5,0. "Agora tiro 7, 8 e 9. Tenho consciência do quanto melhorei meu comportamento e até ajudo a professora, como monitor, a ensinar outros alunos".

A diretora Dejair dos Santos Silva confirma a mudança provocada em Gustavo. "Ele era um de nossos alunos mais problemáticos, vivia na minha sala por mau comportamento. Hoje, percebemos a transformação positiva que aconteceu".

Ele participa das oficinas de percussão e fanfarra, onde toca surdo. No judô, passou para a faixa cinza. "Conto para meus amigos o que faço na escola. Alguns já me disseram que vão se mudar para a Leire só para participar, também".

 

Escola viva
Outro projeto desenvolvido no estabelecimento de ensino é o projeto Escola Viva, que abre as portas do colégio aos fins de semana para a comunidade. A população utiliza as quadras, sala de informática e têm cursos para o reforço do orçamento. Há mulheres que fizeram o curso de manicure e cabeleireiro e hoje já têm uma nova fonte de renda.

"Acreditamos que, dessa forma, a comunidade se torna parceira e isso reverte no aprendizado. Notamos queda da violência, da evasão escolar e famílias que antes não se importavam agora dão mais atenção à vida escolar dos filhos", avaliou a diretora.

 Projeto
O projeto foi oferecido, pela primeira vez, em Campo Grande, em 2008, na Escola Municipal Wilson Taveira, no Bairro Aero Rancho. No ano seguinte, outros seis estabelecimentos — Ione Catarina Gianotti Igydio (Jardim Noroeste), João Cândido de Souza e Nazira Anache (ambas no Jardim Anache), Adair de Oliveira (Piratininga), Valdete Rosa da Silva (Jardim das Meninas) e Leire Pimentel de Carvalho Correa (Colibri II) — foram selecionados.

Neste ano, mais cinco colégios começaram a participar do projeto: Padre Tomaz Ghirardelli (Dom Antônio Barbosa), Kamé Adania (Nascente do Segredo), Heitor Castoldi (Vila Nhanhá), Hércules Maymone (Nova Lima) e Elízio Ramires Vieira (Pênfigo). (ST)

Leia Também