quarta, 18 de julho de 2018

Ex-presidente da FIA

'Se Alonso vencer por menos de sete pontos, título não vale'

29 OUT 2010Por Gazeta Esportiva14h:30

O episódio em que o brasileiro Felipe Massa seguiu ordens e abriu passagem para o companheiro de equipe Fernando Alonso ainda segue vivo na memória dos envolvidos na Fórmula 1. Desta vez foi Max Mosley, ex-presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), a criticar a Ferrari ao dizer que, caso o espanhol consiga se sagrar campeão da categoria por menos de sete pontos de vantagem  para o segundo colocado, seu título perderá o valor.

A diferença é equivalente a quantidade de pontos que Alonso deixaria de ganhar caso tivesse encerrado o Grande Prêmio da Alemanha em segundo, com Felipe em primeiro, como o ocorrido durante grande parte da prova. A escuderia teve que pagar uma multa de US$ 100 mil, mas não perdeu pontos, o que irritou Mosley.

"Os pontos extra que Alonso faturou por ultrapassar Massa deveriam ter sido retirados. Isso é o mínimo. Porque se ele ganhar por menos dos sete pontos que ganhou ilegalmente em Hockenheim, o campeonato perderia a validade" afirmou o ex-cartola da FIA, para a rádio britânica BBC.

Mosley ainda aproveitou a entrevista, em que criticou a decisão tomada pela atual gestão da Federação, para vetar qualquer possibilidade de retorno ao circo. "Meus dias na Fórmula 1 acabaram e agora tenho outras preocupações. Ainda assisto à categoria com interesse, mas não irei voltar atrás na decisão. Sigo o esporte vagamente, mas como torcedor", revelou.

O britânico aproveitou para elogiar o trabalho do seu sucessor à cadeira presidencial da FIA, Jean Todt, sem dirigir críticas ao ex-dirigente ferrarista. "Eu apoiei muito Todt e quero que ele tenha sucesso, pois tenho bastante responsabilidade em sua atual posição. Mas não quero interferir no que ele está fazendo no cargo, ele deve fazer as coisas à sua maneira", sentenciou.

Leia Também