Domingo, 18 de Fevereiro de 2018

Saúde reforçará ações contra dengue em mais 12 cidades

13 JAN 2011Por DANIELLA ARRUDA00h:00

Classificação de Mato Grosso do Sul como um dos 16 Estados com “risco alto” de epidemia de dengue neste ano, conforme levantamento divulgado anteontem pelo Ministério da Saúde, levou a Secretaria de Estado de Saúde a ampliar a relação de municípios considerados prioritários em relação à doença. Além dos oito municípios já monitorados regularmente — Bonito, Campo Grande, Corumbá, Coxim, Dourados, Jardim, Ponta Porã e Três Lagoas — outras 12 localidades que ostentam maior incidência da doença passarão a ter estratégias de prevenção e combate à doença reforçada a partir de fevereiro. Outra mudança no planejamento das ações é a periodicidade do repasse de boletins de cada cidade ao Estado, que passa de quinzenal para semanal.     

A Secretaria de Estado de Saúde programa para o fim deste mês reunião com esses 20 municípios considerados prioritários, para orientá-los sobre o trabalho de resposta coordenada no monitoramento da dengue no Estado, informou ontem a coordenadora estadual de vigilância epidemiológica, Bernardete Gomes Lewandowski. “O nosso objetivo é fazer um encaminhamento do que será necessário para os trabalhos de prevenção e combate à dengue nos municípios com maior índice de infestação. Vamos procurar trabalhar para ter uma resposta mais rápida (quanto a isso”, explicou.

Conforme o último boletim epidemiológico (até 25 de dezembro), apresentavam maior incidência de dengue no Estado, juntamente com Campo Grande e Jardim (já monitorados), os municípios de Angélica, Brasilândia, Ivinhema, Maracaju, Inocência e Nova Alvorada do Sul. Com a ampliação da lista de localidades consideradas prioritárias pela Secretaria de Estado de Saúde, estes seis municípios, classificados como risco alto para epidemia da doença, passam a fazer parte do monitoramento estratégico, juntamente com Rio Verde, Mundo Novo, Cassilândia, Rio Brilhante, Aparecida do Taboado e Caarapó.

Além destas medidas na área de monitoramento, a coordenadora estadual de vigilância epidemiológica informou que já foram distribuídos aos 78 municípios do Estado 120 mil cartões de acompanhamento de pacientes (instrumento indispensável para os médicos acompanharem o estado de saúde dos pacientes internados com suspeita da doença), 30 mil cartões das provas do laço (exame que ajuda a diagnosticar a manifestação hemorrágica da dengue no paciente). Também está previsto amplo trabalho de divulgação sobre prevenção e os cuidados com a doença, com distribuição de folhetos, folders, banners e cartazes para cada cidade. “Já estávamos trabalhando antes (da divulgação do novo mapa da dengue) e as ações continuam as mesmas, porém serão intensificadas por causa desta época de calor intenso, acompanhado de chuvas. O Exército vai começar um trabalho de apoio importantíssimo a partir da próxima semana em Campo Grande, em Corumbá as ações também foram intensificadas, mas é preciso que a população faça a sua parte”, alertou.

Casos
Até 25 de dezembro do ano passado, tinham sido notificados 82.645 casos de dengue em Mato Grosso do Sul, com 47 óbitos. Em Campo Grande, foram 41.432 notificações até 27 de dezembro, com 22 mortes registradas na Capital em decorrência da doença. (DA)

Leia Também