Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

Saúde implementa projetos de controle da Aids em Campo Grande

27 JUL 2010Por 23h:42
     Campo Grande é um dos poucos municípios do país em que o teste do HIV é feita em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS). A conquista é fruto de um programa de descentralização da testagem anti-HIV, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) desde 2005.
                                        
                                        Os dados estatísticos comprovam a eficácia do programa. Em 2005 foram realizados aproximadamente quatro mil testes anti-HIV, número que praticamente triplicou em 2010, com a realização de cerca de doze mil testes. O número de casos de Aids, de 1984 até 2010, em Campo Grande chega a 3.002 pacientes soropositivos.
                                        
                                        ?O número de casos notificados da doença dobrou nos últimos anos. Atribuímos esse aumento ao resgate das subnotificações, ao crescimento da incidência da AIDS e ao aumento da testagem anti-HIV?, pontua Roberto Cunha, gestor de processos do Programa Municipal DST-Aids.
                                        
                                        Para controlar o avanço da doença, a Sesau colocou em prática dois projetos. A campanha ?Fique sabendo? busca ampliar e incentivar a população a realizar o teste anti-HIV, orientar e encaminhar as pessoas soropositivas aos serviços de referência. A iniciativa inclui o treinamento dos profissionais das UBS para o aconselhamento pré e pós teste anti-HIV.
                                        
                                        No projeto ?Previna Cidade Morena? os profissionais de saúde vão ao encontro da população de maior vulnerabilidade social, para informar sobre as doenças sexualmente transmissíveis e distribuir preservativos. O público alvo são, principalmente, as profissionais do sexo, caminhoneiros, detentos e comunidades de menor poder aquisitivo renda.
                                        
                                        Faz parte do projeto Previna Cidade Morena a visita mensal às setenta casas de sexo cadastradas pela Sesau. Uma cota de preservativos é reservada para esses locais, onde a equipe do programa DST-Aids orienta as profissionais do sexo a realizarem exames preventivos, que incluem o teste anti-HIV.
                                        
                                        ?A Capital é referência no controle da AIDS no Brasil. A gestão do prefeito Nelsinho Trad operacionalizou os recursos para realizarmos nosso trabalho. Além disto, todas as políticas do programa DST-Aids têm controle social, por intermédio da fiscalização efetuada pelo Conselho Municipal de Saúde?, assinala Roberto Cunha.
                                        

Leia Também